ÁGUA: ECONOMIA DE GUERRA

Prof. José Olímpio de Sousa Araújo*

Resultado de imagem para Professor José Olímpio de Sousa Araújo amlef
Resultado de imagem para Professor José Olímpio de Sousa Araújo amlef

Orientações aos moradores e aos que frequentam a casa:

1. Tomar apenas 1 (um) banho por dia.
2. Lavar o cabelo apenas 1 (uma) vez a cada 15 (quinze) dias.
3. Escovar os dentes apenas 1 (uma) vez por dia.
4. Não dar descarga todas as vezes que usar o aparelho sanitário.
5. Trocar as roupas íntimas de 2 em 2 (dois em dois) dias.
6. Trocar semanalmente as chamadas roupas de cima (camisas, camisetas, saias, calças, calções, bermudas), toalhas (banho, rosto, mãos, de mesa), colchas, lençóis, lenços, meias, panos de prato, e outros similares.
7. Lavar as mãos apenas antes das refeições.
8. Não repetir (com mais água) a retirada do sabão das mãos / do corpo; basta uma lavação.
9. Não deixar a torneira e o chuveiro derramando enquanto está  ensaboando as mãos (ou o corpo).
10.  Ao usar a torneira ou o chuveiro, abrir pouco (cerca de 1/3).
11. Não pôr pra lavar um pano, toalha, lenço, peça do vestuário (ou outra), que caia no chão; mas recolhê-la, sacudi-la e retorná-la ao uso.
12. Lavar os banheiros semanalmente.
13. Lavar a casa mensalmente.
14. Reutilizar a água servida nas pias (para as plantas, para lavar o chão, etc.)
15. Lavar o carro (parte externa e interna) semanalmente; para uma lavagem completa levar ao serviço especializado.

Bem, isto é o que estou propondo na minha casa. Evidentemente, está havendo leves reações, mas todos estamos conscientes da necessidade; estamos num período crítico, e, a qualquer momento, poderemos ser forçados a cumprir regras semelhantes, ou mais drásticas. E, vou brindá-los que esta pérola, que acabo de criar: Dói no órgão mais sensível do corpo humano – o bolso! Por isso, conclamo a todas as famílias, todas as casas a aplicarem estas regras.
Há outras, com as quais os da minha casa não precisam preocupar-se (a não ser o meu carro, o carro do meu filho Othon, que ainda mora conosco) e meia dúzia de plantinhas.

Então, complementando:
16. É preciso reduzir, em pelo menos 1/3 (um terço), o consumo de água para plantas e animais de estimação. É claro, eles também precisam “entender” a situação.
17. Lavar calçadas, isto não existe mais; é coisa do passado. 
18. Dê férias indeterminadas a piscinas (na sua casa), duchas externas, ou coisas similares...
19. Férias, também por tempo indeterminado, para suas casas de sítio, de praia, de serra: a economia de guerra de água não suporta uma segunda opção de morada, ou de fim de semana, etc. 

Este é o panorama aquático atual no Nordeste do Brasil...
Talvez eu tenha esquecido alguns itens importantes, mas você com certeza identificará...
Se tiver dificuldade, tente contato com o seu prefeito, qualquer vereador, deputado, senador, ou alguém que ocupe alto cargo na Justiça ou Administração Pública (em qualquer esfera). Com certeza, eles já estão fazendo tal economia, ou se preparando para fazê-la... Se não aceitam reduzir seus altíssimos salários e benefícios deverão dar pelo menos o exemplo, neste caso. Na guerra, ninguém escapa? Será!?...

*É coautor dos livros “Desenvolvendo a habilidade de escrever” e “Ortografia Atualizada”, com programa na  Universitária FM – Minuto da Língua, (Da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza (AMLEF) e da Academia Limoeirense de Letras).

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Parabéns, Padre Geovane!

Deus, alimento e remédio

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU

Marisa Monte embala 'Romeu & Julieta'