Dualismo

Gonzaga Mota*
Nos dias atuais, a exacerbação do pragmatismo está ocupando espaço das opções ideológicas e institucionais, o que nos confunde e aumenta as dúvidas relacionadas com a existência e a verdade, analisadas por Jean Paul Sartre e Jackes Maritain. Acreditamos serem as manifestações pragmáticas influenciadas pelo maniqueísmo de direita e esquerda, pela ânsia de poder, pela falta de solidariedade, individualismo e pela ausência de sentimentos espirituais. Vale lembrar Michael Bakunin ao dizer: "Sou um amante fanático da liberdade, considerando-a como único espaço onde podem crescer e desenvolver-se a inteligência, a dignidade e a felicidade dos homens, ( ... ) só aceito uma única liberdade que possa ser realmente digna deste nome, a liberdade que consiste no pleno desenvolvimento de todas as potencialidades materiais, intelectuais e morais que se encontrem em estado latente em cada um".
O Estado existe não para ser de direita ou de esquerda, mas para assegurar os princípios da democracia. Precisamos nos voltar para o conhecimento das verdades essenciais, objetivando alcançar os valores éticos indicadores de um mundo baseado nos conceitos de justiça e de igualdade de oportunidades.
Um líder não se faz por instrumentos e mecanismos artificiais, mas pelo reconhecimento livre e soberano do seu povo. Forçar o surgimento de uma liderança, usando segmentos da falsa mídia e "marqueteiros" poderá gerar uma farsa administrativa e política. Os que assumem um cargo público pensando em não trabalhar pelo povo não são democratas, mas corruptos. Não ao maniqueísmo, sim à defesa da democracia.
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

Fundação Edson Queiroz realiza mostra de arte

Nomofobia: O medo de desconectar

Livro fala sobre empatia, alteridade, sentimentos reais e seres humanos

Dois pesos e duas medidas

Documentário sobre 'impeachment' de Dilma no Festival de Cinema de Berlim