Cearense que poderia ser o homem mais velho do mundo morre aos 129 anos

O homem que poderia ser o mais velho do mundo morreu, nesta quarta-feira (21), em Bauru, interior de São Paulo, aos 129 anos.
 
A condição de homem mais velho do mundo não é admitida de forma oficial porque José Aguinaldo não fez um teste de carbono 14 para determinar sua idade com exatidão (Foto: Reprodução)
José Aguinaldo dos Santos nasceu em 1888 - ano da Abolição da Escravatura -, no município de Pedra Branca, no Ceará. Ele morava desde 1973 em um asilo na cidade do Centro-Oeste Paulista.
 
Zé Aguinaldo, como era conhecido, morreu de causas naturais. O enterro ocorreu na manhã desta quinta-feira (21), em Bauru.
 
Exame nunca realizado
 
A condição de homem mais velho do mundo não é admitida de forma oficial porque, para ter o nome inscrito no Guiness Book - o Livro dos Recordes -, José Aguinaldo precisaria ter feito um teste de carbono 14 para determinar sua idade com exatidão. O exame tem um custo elevado e por isso nunca foi feito.
 
Um juiz da Comarca de Bauru atestou a idade de Zé Aguinaldo após uma entrevista detalhada. Além disso, Aguinaldo possuía identidade e certidão de nascimento que atestavam sua idade.
 
O cearense migrou para São Paulo em busca de emprego, como tantos outros nordestinos na época. Ele trabalhou em uma fazenda de café de lacanga, localizada a 47 km de Bauru.
 
Livro dos Recordes
 
Segundo o livro dos recordes, de forma "oficial", o homem mais velho do mundo morreu no dia 11 de agosto deste ano, aos 113 anos de idade. Yisrael Kristal era um sobrevivente do Holocausto e vivia em Israel.
 
Dias após a morte de Yirsrael, um brasileiro com 133 anos, idade que também não era reconhecida oficialmente, morreu no Acre. José Coelho de Souza era um ex-seringueiro e, assim como Zé Aguinaldo, tinha documentos que apontavam seu nascimento em 10 de março de 1884 - quatro anos antes da Abolição da Escravatura no Brasil.

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Garimpeiro do conhecimento

Mistério da Santíssima Trindade

O saber na periferia do conhecimento

Cannes: Filmes de qualidade, mas sem ousadia

Bill Gates quer que você leia estes 5 livros nas férias de julho