Regionalismo e espiritualidade são o mote dos trabalhos de Mino, expostos no Shopping Iguatemi

Multifacetado. Assim pode ser definido Hermínio Macêdo Castelo Branco, mais conhecido como Mino. Escritor, cartunista, quadrinista e pintor, esses são alguns dos talentos do artista plural, que terá suas pinturas em exposição durante o mês de dezembro no Shopping Iguatemi. A "Iguatemino", I Exposição de arte do Mino no Iguatemi, fica no piso L2, vizinho a loja Kalunga, das 10h às 22h.
Com visitação gratuita no espaço do shopping Iguatemi, os preços das obras são divididas em três categorias. A "Top", onde ficam os quadros mais caros, a categoria "Pop", preço intermediário, e a escala "Gift", que são os quadros mais em conta para o bolso. É uma categoria "para as pessoas que amam a arte e que não podem comprar. Um produto de baixo custo, mas de alta qualidade, para se presentear e presentear outras pessoas", explica o artista.
Mais reconhecido por seus trabalhos em formato de quadrinhos, Mino permite conhecê-lo, como pintor quando resolve expor suas peças. Sem promover o seu trabalho como artista plástico, as pinturas de Mino fazem sucesso internacionalmente.
Image-0-Artigo-2334443-1
Desde de 1967 a 1980, o artista começou os seus primeiros quadros, mas foi em 1993 que as artes plásticas entraram de forma profissional na vida do artista multiplural. Com mais de 1.500 quadros feitos e 300 catálogos, o artista fotografa suas próprias obras. Hoje, seu objetivo de vida é pintar um quadro por dia, e o artista cumpre o objetivo com maestria.
Contexto
Com apenas 20% de obras feitas há três anos, a exposição traz em sua maior parte obras inéditas, criadas pelo autor de 2016 para cá. Permeando entre dois temas principais: a regionalidade e a espiritualidade, cangaceiros, jagunços, serra e sertão são presenças massivas nas pinturas de Mino, mas fugindo das pinturas naturalistas, de paisagens.
"Nossa Senhora", "São Francisco" e "Igreja" são algumas das obras que representam a religiosidade no trabalho de Mino, mas é "Salvação" o grande destaque de toda a exposição e uma das obras mais caras da mostra. "Esses quadros fazem o caminho histórico do cristianismo, quando a igreja estava se desmoronando e foi salva por Nossa Senhora e Francisco de Assis", conta o pintor.
Mino não aprendeu a pintar em nenhuma escola de arte e sim, sozinho, olhando e imitando outros pintores. Van Gogh e Picasso foram algumas de suas inspirações. "São vários quadros que lembram Van Gogh, pinto como Van Gogh e as pessoas procuram muito isso. É uma influencia", complemente.
Outro tema abordado pelo artista foram os violões, retratados com seus traços modernos em algumas obras da exposição. O preto e branco também aparece em algumas bras de Mino na exposição, sendo um braço do mercado, essa técnica também é muito bem aproveitada na mostra.
Image-3-Artigo-2334443-1
Mino assina
"Seriado Vincentino - Águas de Março" e "Cangaceiro" são outras obras das 50 que estarão em exposição durante todo o mês. Além dessas, há reinvenção das famosas obras: "Never More Gauguin" e "O Grito de Munch". Parte do projeto "Mino assinando Universal", o pintor fez recriações de obras famosas, como Monalisa. Esses quadros com um novo fluente ganharão exposição a parte, mas fora do País.
Outro projeto que o autor que levar a frente é o intitulado "Mino assinando o Regional", onde o pintor pretende expor trabalhos de cunho regionalista, este, aqui no Brasil. Nesses projetos, Mino criou uma assinatura artística. Em toda a sua composição, de acordo com a ordem colocada das obras, forma uma figura humana.
O artista revela que usualmente utiliza uma assinatura diferente a da usada em seus cartoons.
Rapadura
Mas o projeto que o artista mais se dedica no momento é o seu personagem Capitão Rapadura, personagem que agora está ganhando notoriedade mundial, está desenvolvendo mais de 40 personagens, que juntos com o capitão, viverão alta aventuras, como é feito com as histórias da Turma da Mônica. Mino é casado com Ignês Botelho e pai de Magno, Maria Cecília, João Eduardo e José. Formado em Direito pela Universidade federal do Ceará (UFC) (inscrito na OAB), o artista coleciona várias atribuições: desenhista, artista plástico, cartunista, programador visual, projetista gráfico, poeta bissexto, livre pensador, autor de histórias, fábulas e contos infantis, ilustrador e publicitário.
Além de todos os talentos demonstrado por Mino, o artista também edita sua própria publicação mensal, a "Rivista", onde também é proprietário, distribuída através da Editora Riso para vários colégios no Ceará. A "Rivista" contém: fábulas, contos, frases, pensamentos, artigos, poesias, ilustrações e cartuns.
Como pintor, possui diversas obras vendidas no Brasil e no exterior. É autor do grande mural Terra da Luz, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, retratando histórias e aspectos culturais da terra cearense. Conhecido como um artista plástico extremamente versátil, Mino carrega o casamento entre o universal e o regional, essa uma das maiores características do artista cearense.

Mais informações
I Exposição de Arte do Mino no Iguatemi - "Iguatemino". Durante todo mês de dezembro, no Shopping Iguatemi, no piso L2, vizinho à loja Kalunga (Av. Washington Soares, 85 - Guararapes), das 10h às 22h. Gratuito. Contato: (85) 3477.3560
Image-1-Artigo-2334443-1
 
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

MISTÉRIOS DE NESTOR

O ESPLENDOR DO CARMELO

Editoras de pequeno porte e autores independentes solidificam um nicho de mercado

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão

Livro de Juliano Garcia Pessanha traz reflexões filosóficas e relatos