Com Maria Bethânia, documentário aborda a literatura e poesia africanas

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Maria Bethânia está no documentário Karingana. Foto: CineGroup/Divulgação
Maria Bethânia está no documentário Karingana. Foto: CineGroup/Divulgação
Após circular nos festivais de cinema do ano passado, o documentário Karingana – Licença para contar estreia nesta sexta-feira, às 21h35, no canal Curta!. O filme reúne depoimentos de personalidades como a cantora Maria Bethânia, o angolano José Eduardo Agualusa e os moçambicanos Mia Couto e Mingas, que falam sobre a palavra, a poética e a literatura de países africanos e de como há influência na língua portuguesa. Com filmagens em Moçambique e Angola, o longa-metragem tem direção da pernambucana Monica Monteiro, da CineGroup, também responsável por outras produções de televisão, como os programas Chegadas e partidas e Boas-vindas, ambos exibidos no GNT.

A produção é definida como um ensaio poético de Maria Bethânia, que apresenta trechos de obras que tenham semelhanças ou conexão com o português. Resistência à colonização, conexão com os idiomas nativos e tradições orais são alguns dos pontos explorados a partir da importância da escrita. Curiosidades são apresentadas por especialistas locais. A palavra "karingana" é semelhante ao nosso "era uma vez", utilizado para iniciar narrativas literárias.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Na televisão, Maria Bethânia apresenta um programa sobre literatura e poesia no Arte1, intitulado Poesia e prosa, que já teve duas temporadas. No ano passado, a cantora baiana recitou poema de Ariano Suassuna, que completaria 90 anos em junho se estivesse vivo. A atração também é dirigida por Mônica Monteiro.

Fonte: Diário de Pernambuco

Comentários

Mais Visitadas

A linguagem do amor

Garimpeiro do conhecimento

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans

O saber na periferia do conhecimento

Cannes: Filmes de qualidade, mas sem ousadia