Crise mundial

Gonzaga Mota*
Nosso objetivo é refletir sobre algumas questões que preocupam a opinião pública mundial em nossos dias. A ganância de determinados países motiva uma desconfiança que prejudica o entendimento, gerando desigualdades e desequilíbrios políticos, econômicos, sociais e culturais.
Nessa linha de raciocínio, surgem a exploração desordenada dos recursos naturais não renováveis, a miséria crescente de milhões de pessoas, a corrida armamentista, a falta de solidariedade humana, a ausência de uma paz estável, dentre outros problemas.
O radicalismo tem influenciado de forma negativa as alterações de comportamento e de organização social. Esses movimentos radicais não buscam soluções, mas modelos errôneos de comportamento. Não deveriam prevalecer a ambição pelo poder (em todos os seus aspectos), a falta de ideal, o fundamentalismo e o ódio.
Por sua vez, conforme Norberto Bobbio, "A primeira grande distinção no universo das doutrinas políticas é a que contrapõe teorias idealistas do Estado perfeito, ou da melhor forma de governo, e teorias realistas".
A ideologia, quando verdadeira, deve ser estratégica e não de curto prazo, o que gera ações irracionais e insustentáveis.
A história nos mostra que as manifestações ideológicas, quando consistentes, levam-nos a caminhos pacifistas, éticos, de liberdade, de solidariedade, não preconceituosos e democráticos. Para que tenhamos um mundo melhor, é fundamental a existência das virtudes teologais (fé, esperança e amor) e das virtudes cardinais (prudência, justiça, fortaleza e moderação).
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

A linguagem do amor

Garimpeiro do conhecimento

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans

Museu da Fotografia Fortaleza realiza nesta quinta (17) palestra sobre a imagem contemporânea

Aposentadoria por idade será aprovada por internet e telefone