Pesquisadores catalogam gírias do Ceará para criar dicionário “cearensês”

Livros
Quem não é do Ceará deve achar estranho ou, simplesmente, não entender o sentido de palavras. São nomes que só têm sentido para quem nasceu ou mora no Estado. Há termos até para referir doenças. Para os cearenses, “piloura”, por exemplo, é quando a pessoa está com muita fome e precisa comer urgente. Já “arquejando” é utilizado para pessoas que estão morrendo aos poucos.
Em meio a tantas denominações e significados, uma pesquisa feita pela Universidade Federal do Ceará (UFC) catalogou a maioria desses nomes. Segundo a coordenadora da pesquisa, Virginia Bentes, a ideia é armazenar a memória das termologia cearense.
“A gente começou a perceber que é necessário armazenar uma perspectiva de manutenção desse léxico e desse resgate de memórias. Fico preocupada com a perda de tanta cultura”, declarou.
Ao todo, o dicionário já conseguiu reunir 400 palavras e, de acordo com Virginia, a previsão é de crescimento. “Terminamos um mapeamento das comunidades indígenas. Falta fazer o mapeamento do sertão cearense”, acrescenta.
Ao concluir, a pretensão é criar um site para disponibilizar as informações para a população. “A gente tem a intenção de fazer um site com os nomes das doenças e suas respectivas relações”, conclui.
O dicionário é um resultado de uma pesquisa iniciada em 2014 pelo programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da UFC.
Tribuna do Ceará

Comentários

Mais Visitadas

Assunção: Deus recorre aos humildes

1º Festival de Literatura do Sertão do São Francisco vai homenagear escritor de Petrolina, PE

Filme luso-brasileiro com índios Krahô vence Festival de Cinema de Lima

Evento em São Paulo discute as questões do homem contemporâneo

Madonna chega aos 60 anos como uma artista única