Pular para o conteúdo principal

Papa visita região atingida pela crise e pede «pacto pelo trabalho»


(Lusa)
(Lusa)

Francisco inicia viagem a dioceses do Molise com apelos ao respeito pelos tempos livres e pelos recursos naturais

Campobasso, Itália, 05 jul 2014 (Ecclesia) – O Papa Francisco apelou hoje na Itália a um “pacto pelo trabalho” que una as autoridades nacionais e europeias para fazer face às consequências da atual crise económica.
“Muitos postos de trabalho poderiam ser recuperados através de uma estratégia concordada com as autoridades nacionais, um ‘pacto pelo trabalho’ que saiba acolher as oportunidades oferecidas pelas normativas nacionais e europeias”, declarou, no início da sua viagem à região do Molise, com passagens previstas nas dioceses de Campobasso-Boiano e Isérnia-Venafro.
Perante representantes dos mundos do trabalho e da indústria, reunidos na Aula Magna da Universidade do Molise, Francisco elogiou a forma “construtiva” como se está a enfrentar o “drama do desemprego” nesta região italiana.
“Caros amigos, hoje gostaria de unir a minha voz a de tantos trabalhadores e empresários deste território para pedir que se possa promover um «pacto para o trabalho»”, declarou.
Segundo o Papa, a falta de “dignidade” dos desempregados é um problema mais grave do que a própria fome.
“O problema é não levar o pão para casa e isto é grave, isto tira a dignidade”, precisou.
Francisco dedicou parte do seu discurso a defender a necessidade de respeitar o domingo como “dia livre de trabalho”, salvo no caso dos “serviços necessários”, como forma de “dar prioridade não ao económico, mas ao humano, ao gratuito, às relações não comerciais, mas familiares, de amizade”, às relações “com Deus e com a comunidade”.
“Talvez tenha chegado o momento de nos questionarmos se é uma verdadeira liberdade a de trabalhar ao domingo”, prosseguiu.
O Papa falava após ter ouvido testemunhos de vários trabalhadores, incluindo o de um agricultor e de uma mãe operária, grávida, num “apelo pelo trabalho e ao mesmo tempo pela família”.
Neste contexto, recordou que, quando confessa, pergunta sempre aos pais mais jovens se “brinca” com os seus filhos, se “perdem tempo” com eles.
“Estamos a perder esta sabedoria de brincar com os filhos”, alertou Francisco.
A capacidade de conciliar os tempos do trabalho com os da família, acrescentou, é “um ponto crítico” que permite avaliar a “qualidade humana” do sistema económico.
Francisco realçou ainda a importância da investigação e da formação para “responder às novas e complexas questões que a atual crise económica coloca, a nível local, nacional e internacional”.
A intervenção recordou a importância do “diálogo do homem com a sua terra”, para que esta possa “dar fruto sem ser explorada”.
“Este é um dos maiores desafios da nossa época: a conversão a um desenvolvimento que saiba respeitar a criação”, observou, lamentando, a este respeito, a destruição de florestas na América Latina.
O Papa concluiu num registo mais informal, recordando que quando era provincial dos jesuítas, houve necessidade de enviar um capelão para a Antártida, para ali viver como capelão, “durante 10 meses”, e a escolha recaiu sobre um religioso nascido precisamente em Campobasso.
OC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…