Teresa de Ávila ajuda a fazer da mística um «tema de rua»

Agência Ecclesia
  


Eugénia Magalhães considera a santa de Ávila, cujo V centenário de nascimento se assinala a 28 de março de 1515, uma «mulher de ação»

Lisboa, 23 mar 2015 (Ecclesia) – Eugénia Magalhães considera que a celebração do V centenário de nascimento de Santa Teresa de Ávila, a 28 de março, é uma oportunidade para descobrir uma “mulher inconformada” e fazer da mística “um tema de rua”.
Doutoranda em História e Cultura das Religiões, Eugénia Magalhães investiga percursos e textos da mística e afirma a necessidade de “mostrar” os místicos para não serem esquecidos nem tomados como “algo estranho”.
“O meu projeto de vida é tornar a mística um tema de rua, um tema de paróquia, um tema da teologia, do nosso dia-a-dia, de amigos no café e não algo estranho e misterioso com o qual não temos nada a ver”, referiu Eugénia Magalhães.
Para a investigadora é fundamental ler os textos místicos, mesmo que “só um bocadinho”, para contactar com a atualidade do que escreveram e perceber que está relacionado com o quotidiano.
"A mística empurra-nos inevitavelmente para sermos inconformados com o que vivemos no dia-a-dia. Porque a mística é um discurso terrivelmente transparente e profundo”, referiu.
Eugénia Magalhães considera que as grandes figuras da história são as que “fazem uma grande reflexão sobre si próprias e sobre aquilo que as rodeia”.
“Não podemos dizer ‘eu acredito’ sem fazermos uma reflexão sobre nós próprios e o mundo que nos rodeia”, sublinhou, acrescentando que esse foi o grande legado de Teresa de Ávila.
“É uma mulher muito inconformada com o seu tempo. De uma grande fidelidade à Igreja, grande amor a Cristo e olha à sua volta e pensa no que tem de fazer”, afirmou Eugénia Magalhães.
Para a investigadora, a mística de Ávila viveu “tempos difíceis” e, diante de “algo que parecia estável”, resolve “descalçar-se e pôr-se a caminho”, porque “percebeu que o conformismo não leva a lado nenhum”.
Eugénia Magalhães, que estuda os místicos na investigação académica par ao doutoramento, considera Santa Teresa de Ávila uma mulher de ação, que a leva “às raízes do Evangelho” para “começar tudo de novo”, o que resultou na fundação de 17 conventos.
Santa Teresa de Ávila nasceu a 28 de março de 1515 e o V centenário de nascimento está a ser assinalado pelas congregações teresianas e carmelitas.
PR

Comentários

Mais Visitadas

Alagoano que dirigiu filme que teve cenas gravadas em Penedo toma posse na ABL

Literatura e cinema ajudaram a tornar Notre-Dame conhecida no mundo

Principal nome da literatura feita para crianças no Ceará, Horácio Dídimo, morto em 2018, pode ser homenageado em Dia Estadual da Literatura Infantil

Herança do governo golpista

Catedral de Notre-Dame, em Paris, sofre incêndio na tarde desta segunda-feira