Municípios brasileiros jogam resíduos sólidos a céu aberto



O programa Meio Ambiente por Inteiro desta semana aborda a questão dos resíduos sólidos gerados nas torres residenciais, onde milhões de pessoas dividem espaço para morar em apartamentos. Viver ou trabalhar nas alturas pode até ajudar na coleta e na separação dos resíduos, mas uma questão permanece sem resposta: por que o Brasil demora tanto em cuidar da reciclagem do material recolhido?


Dados do IBGE revelam que metade das cidades brasileiras despejam milhares de toneladas de resíduos nos famigerados lixões, sem qualquer controle ambiental. Mas, como os condomínios verticais com milhares de unidades reagem à nova legislação? É possível transformar lixo em dinheiro, por meio da reciclagem? Nossa reportagem visitou um centro médico que recebe 12 mil pessoas por dia. Todos os resíduos gerados e que podem ser reaproveitados são vendidos para cooperativas de reciclagem.


O bom exemplo do condomínio comercial vem inspirando prédios residenciais também. Na opinião da engenheira ambiental Raquel Blumenschein, essa atitude já faz parte do “futuro”. “Na cidade do futuro, cada unidade, cada morador, cuidará de seu próprio resíduo. Um condomínio vertical cuidará de suas necessidades quanto ao uso de energia, de água, esgoto e material de reciclagem. O lixo será matéria-prima e o mínimo será despejado na natureza”.

FONTE - TV JUSTIÇA

Comentários

Mais Visitadas

Alagoano que dirigiu filme que teve cenas gravadas em Penedo toma posse na ABL

Literatura e cinema ajudaram a tornar Notre-Dame conhecida no mundo

Principal nome da literatura feita para crianças no Ceará, Horácio Dídimo, morto em 2018, pode ser homenageado em Dia Estadual da Literatura Infantil

Herança do governo golpista

Catedral de Notre-Dame, em Paris, sofre incêndio na tarde desta segunda-feira