Pular para o conteúdo principal

DANÇA DAS RELAÇÕES

Deus Trindade nos quer fazer partícipes de seu diálogo de amor, de vida em plenitude.
Deus é comunhão, é comunidade de amor, é dança amorosa de relações de igualdade na diferença.
Deus é comunhão, é comunidade de amor, é dança amorosa de relações de igualdade na diferença.
Por Maria Cristina Giani*
Evangelho de São João 16,12-15
«Ainda tenho muitas coisas para dizer, mas agora vocês não seriam capazes 
de suportar. Quando vier o Espírito da Verdade, ele encaminhará vocês para
toda a verdade, porque o Espírito não falará em seu próprio nome, mas dirá o que escutou e anunciará para vocês as coisas que vão acontecer. 
O Espírito da Verdade manifestará a minha glória, porque 
ele vai receber daquilo que é meu, e o interpretará para vocês.
Tudo o que pertence ao Pai, é meu também. Por isso é que eu disse: o Espírito
vai receber daquilo que é meu, e o interpretará para vocês.

Diante do mistério de Deus Uno e Trino, não alcançam as palavras, só resta o silêncio e a adoração.
Mas, na nossa busca constante de compreensão, as palavras do poeta e pastor estadunidense Amos Wilder sinalizam um caminho para adentrar-nos neste mistério: “Antes da mensagem, deve haver a visão, antes do sermão, o hino, antes da prosa, o poema”.
Então, cabe-nos perguntar: Qual é a visão que o evangelho de hoje nos apresenta? Voltemos a lê-lo, buscando recriar com nossa imaginação o diálogo catequético que Jesus tem com seus amigos.
Em primeiro lugar, Ele se mostra como um bom mestre, pedagogo conhecedor da capacidade de seus discípulos: “Ainda tenho muitas coisas para dizer, mas agora vocês não seriam capazes de suportar”.
Mas Jesus conta, na sua catequese, com o auxílio do Espírito Santo, é Ele quem vai ajudar a comunidade a compreender a grandeza do mistério de Deus: “O Espírito da Verdade encaminhará vocês para toda a verdade”.
As palavras que Jesus disse a seguir nos introduzem na relação de amor entre ele, o Espírito Santo e o Pai que tem a comunidade cristã como última destinatária: “o interpretará para vocês”.
É incrível que o diálogo da Trindade não é fechado entre as três Pessoas divinas, sinal que está aberto a nós! Deus Trindade nos quer fazer partícipes de seu diálogo de amor, de vida em plenitude.
Duas vezes o evangelista disse que o Espírito interpretará para nós tudo o que recebe de Jesus, que pela sua vez recebe tudo do Pai. Por isso podemos dizer que a missão do Espírito é nos fazer entender, desde o fundo de nosso coração, o mistério de “relacionalidade”, de comunhão de Deus Amor, no qual existimos e vivemos.
Deus é comunhão, é comunidade de amor, é dança amorosa de relações de igualdade na diferença, de gratuidade transbordante, geradora e defensora da vida em todas suas manifestações.
Somos criados para viver esta dança de relações com Deus, com os outros, com todo criado, com nós mesmos,... mas que longe estamos de dançar harmoniosamente, pacificamente.
Nossas relações sofrem diferentes tipos de doenças: falta de respeito à diferença, desigualdade, violência, que não nos permitem seguir o ritmo vivificante da comunhão. Porque elas não são abertas gratuitamente, desinteressadamente ao outro, à outra, são fechadas sobre nossos próprios interesses, são autorreferenciais.
Quanto precisamos que o Espírito nos ilumine, nos ensine a viver, a dançar como Deus Uno e Trino, sob a música do Amor (1Cor 13, 1-9). Por isso a melhor maneira de celebrar a Solenidade da Santíssima Trindade é viver o amor no nosso convívio quotidiano, no compromisso eclesial, social e político.
“Antes da mensagem deve haver a visão, antes do sermão, o hino, antes da prosa, o poema”. Qual é a mensagem que esta “visão”, imagem da Trindade, nos comunica?
Peçamos juntos o dom do Amor:
O amor é paciente,
o amor é prestável,
não é invejoso,
não é arrogante nem orgulhoso,
nada faz de inconveniente,
não procura o seu próprio interesse,
não se irrita nem guarda ressentimento.
Não se alegra com a injustiça,
mas rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê,
tudo espera, tudo suporta.
O amor jamais passará (1Cor13,4-9).

Instituto Humanitas Unisinos
*Maria Cristina Giani, Missionária de Cristo Ressuscitado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…