Pular para o conteúdo principal

Oco do Mundo vai percorrer o Nordeste em busca de gravuras fantásticas

Dois artistas vão percorrer o Nordeste em busca de histórias, saberes e encantos dos mestres populares adeptos da gravura fantástica

DIVULGAÇÃO
Artistas vão percorrer 10 cidades do Nordeste para registrar o trabalho de mestres populares

Os artistas Rafael Limaverde e Marquinhos Abu vão transpor as distâncias entre dez cidades nordestinas para encontrar mestres populares versados no mundo fantástico. A viagem, que começa na segunda-feira, 15, vai reunir material para composição de um documentário, de um livro e de uma exposição. O lançamento do projeto - denominado Oco do Mundo, uma viagem em busca do imaginário nordestino - acontece no próximo sábado, 13. Para reunir recursos, será realizada a venda de uma tiragem da xilogravura “Equidna”, obra de Rafael.


A exposição, que se chamará Bestiário Nordestino, foi contemplada pelo Edital Temporada de Arte Cearense 2016. Mas a viagem de pesquisa e os outros produtos ainda precisam de verbas para sair do papel. No evento de sábado, realizado no Mambembe Comida e Outras Artes, haverá pintura ao vivo de Narcélio Grud, feijoada da chef Bia Leitão, discotecagem de Denilson Albano e Estácio Facó.

Rafael e Marquinhos, curadores do projeto, vão dialogar com dez mestres populares sobre as gravuras oriundas do mundo fantástico. “A xilogravura é um espelho de nós mesmos. Ora rude ora delicada, colorida ou monocromática, ‘popular’ ou contemporânea... Ela é o sertão por excelência. E é nesse cenário que buscamos a essência do povo nordestino, seus monstros e demônios, tencionando esse limite entre o homem e o animal, a realidade e a fantasia, entre a lucidez e o delírio”, acredita Rafael Limaverde.

O itinerário tem início em Fortaleza, passando por Crato e Juazeiro. Depois, a dupla segue para Souza, Taperoá, Campina Grande e João Pessoa, todas na Paraíba. As próximas paradas serão em Pernambuco, onde visitarão Caruaru, Bezerros, Olinda e Condado.

O projeto surgiu do anseio de entender e de jogar luz sobre os artistas populares e ilustradores que dialogam com o mundo fantástico. “A modernidade trabalha incansavelmente em prol do ‘desencantamento do mundo’. Mas o sertão, essencialmente um lugar de resistência, mantém vivo seu sagrado, seu profano, seus mitos e dragões”, lembra Rafael.

Para conhecer tantas vozes diferentes, serão percorridos cerca de 2 mil quilômetros. Uma fanpage no Facebook (ver serviço) será utilizada como diário de bordo pelos artistas. Dessa forma, o público poderá acompanhar - de longe - as andanças. “Essa fase do projeto não tem recurso, por isso tivemos a ideia de criar um tipo de financiamento coletivo, vendendo uma xilo do Rafael para levantar dinheiro para viagem, daí então várias colaborações foram se somando”, diz Marquinhos Abu.

“Ir ao ‘Oco do Mundo’ é buscar esse ainda encantamento latente na vida e no imaginário sertanejo que entalha e imprime o grotesco do mundo”, pontua Rafael. No próximo sábado, será comercializada uma tiragem de 60 cópias da xilogravura “Equidna”. A previsão é encerrar a viagem em 30 de agosto.

SERVIÇO

Lançamento projeto Oco do Mundo
Quando: sábado, 13, às 13 horas
Onde: Mambembe (Rua dos Tabajaras, 368 - Praia de Iracema). Entrada gratuita
Outras informações: facebook.com/bestiarionordestino
O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…