Pular para o conteúdo principal

Madre Teresa, modelo de santidade para o mundo do voluntariado

Rádio Vaticana
A nossa vida é um mistério cuja chave de interpretação está nas mãos de Deus e do homem. A nossa missão é perceber a chamada de Deus e aceitar a sua vontade. Então há que perguntar-se:  “qual é a vontade de Deus na minha vida?” A esta pergunta deve seguir-se uma outra: “O que lhe agrada?” E a resposta é que “Deus não quer sacrifícios, mas sim misericórdia” – disse o Papa, apoiando-se nas leituras bíblicas deste domingo, segundo as quais “Para Deus são agradáveis todas as obras de misericórdia, porque no irmão reconhecemos o rosto de Deus que ninguém  pode ver”. Não existe alternativa à caridade, se queremos pôr em prática a nossa fé, o  que significa ir para além da simples ajuda nos momentos de necessidade. Isto seria solidariedade, mas seria estéril, porque “careceria de raízes”. O que o Senhor nos pede é “uma vocação para a caridade”, frisou Francisco.
E neste dia do Jubileu dos Voluntários e Operadores da Misericórdia, o Papa evocou o Evangelho de Lucas, lido neste domingo, para comparar o “vasto mundo do voluntariado de hoje às multidões que seguiam Jesus” dizendo-lhes:
Sois aquela multidão que segue o Mestre, e que torna visível o seu amor concreto por cada pessoa (…). Quantos corações os voluntários confortam! Quantas mãos apoiam; quantas lágrimas enxugam; quanto amor é derramado no serviço escondido, humilde e desinteressado! Este serviço louvável dá voz à fé, dá voz à fé, e manifesta a misericórdia do Pai que se faz próximo daqueles que passam por necessidades.”
O Papa prosseguiu recordando aos voluntários que “seguir Cristo é um compromisso sério e ao mesmo tempo alegre: exige radicalidade e coragem para reconhecer o divino Mestre no mais pobre e colocar-se ao seu serviço” sem esperar agradecimentos ou gratificações. É simplesmente um imitar o Senhor que se inclina sobre cada um de nós nos momentos difíceis, pormenorizou o Papa:
Como o Senhor veio até mim e se inclinou sobre mim na hora da necessidade, assim também vou ao seu encontro e me inclino  sobre aqueles que perderam a fé ou vivem como se Deus não existisse, sobre os jovens sem valores e ideais, sobre as famílias em crise, sobre os enfermos e os prisioneiros, sobre os refugiados e imigrantes, sobre os fracos e desamparados no corpo e no espírito, sobre os menores e abandonados  à própria sorte, bem como sobre os idosos deixados sozinhos. Onde quer que haja uma mão estendida pedindo ajuda para levantar-se, ali deve estar a nossa presença e a presença da Igreja, que apoia e dá esperança.”
Exemplo de tudo isso foi Madre Teresa de Calcutá, “dispensadora generosa da misericórdia divina” – disse o Papa sublinhando que ela se fez disponível a todos, desde os nascituros, aos abandonados e descartados. Em relação aos nascituros punha-se claramente do lado da defesa da vida, dizendo que “quem ainda não nasceu é o mais fraco, o menor, o mais miserável”. Em todos reconheceu a dignidade que Deus lhes dera” – frisou Francisco, recordando que Madre Teresa  fez também “ouvir a sua voz aos poderosos da terra, para que reconhecessem a sua culpa perante os crimes da pobreza criada por eles próprios. A misericórdia foi para ela o “sal” que dava sabor a todas as suas obras, e a luz que iluminava a escuridão de todos aqueles que nem sequer tinham mais lágrimas para chorar pela sua pobreza e sofrimento” .
Indicando na missão de Madre Teresa nas periferias das cidades e nas periferias existências um testemunho eloquente da proximidade de Deus junto dos mais pobres entre os pobres, o Papa concluiu desejando que ela seja um modelo para o mundo do voluntariado de hoje:
Hoje entrego a todo o mundo do voluntariado esta figura emblemática de mulher e de consagrada: que ela seja o vosso modelo santidade!Acho que teremos, talvez, um pouco de dificuldades em chamá-la Santa Teresa, a sua santidade estão tão próxima de nós, tão tenra e fecunda que espontaneamente continuaremos a dizer Madre Teresa (aplausos…). Que esta incansável agente de misericórdia nos ajude a entender mais e mais que o nosso único critério de acção é o amor gratuito, livre de qualquer ideologia e de qualquer vínculo e que é derramado sobre todos sem distinção de língua, cultura, raça ou religião. Madre Teresa gostava de dizer: “Talvez não fale a língua deles, mas posso sorrir”. Levemos no coração o seu sorriso  (aplausos) e o ofereçamos a quem encontremos no nosso caminho, especialmente àqueles que sofrem. Assim abriremos horizontes de alegria e de esperança numa humanidade tão desesperançada e necessitada de compreensão e ternura
(DA)


(from Vatican Radio)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…