Pular para o conteúdo principal

Paralisação dos bancários começa esta terça

O clima era de preocupação e surpresa com a greve dos bancários na Capital. E muitos fortalezenses acabaram antecipando ontem as transações bancárias, como desbloqueios de senha, depósitos ou apenas buscar o cartão de débito para conseguir acessar a conta para fugir da paralisação dos bancos que começa hoje. O POVO percorreu agências do Centro da Cidade para observar a movimentação. Algumas permaneciam cheias até as 16 horas.
Na agência do Banco do Brasil, na Avenida Duque de Caxias (com a rua Barão do Rio Branco), aglomeração atípica antes do encerramento do horário bancário. “O cidadão é o único prejudicado. Desta forma, com todas as agências fechadas sem atendimento algum, é inadmissível”, destaca o auxiliar administrativo Bruno Farias. A senha da conta havia sido bloqueada ontem. Por sorte, se deslocou até a agência após o expediente para resolver o imbróglio.

Evitar pagar a fatura com atraso do cartão de crédito foi o objetivo do aposentado David Barbosa. Com o vencimento também para ontem e sabendo da paralisação dos bancários nesta terça-feira, não perdeu tempo. “Se atrasar um dia, vou ter que me deslocar pra agência e pagar na boca do caixa. Vai ser ruim ter de vir aqui novamente em plena greve”, avalia. Já a auxiliar de produção Monalisa Magalhães ficou surpresa com o aumento do movimento por causa da greve. “Demorei a fazer um saque. A agência estava mais cheia que em outros dias. Será que vai ser assim até o final da greve?”, questiona.


Quem conseguiu antecipar as transações saiu ileso, por ora, da greve dos bancários. O metalúrgico Raimundo Santos foi até a agência da Caixa Econômica entre a Avenida Duque de Caxias (com a rua Floriano Peixoto) resolver uma pendência na conta corrente. “Tive de sair de casa para o banco e descobri que amanhã terá greve. E eu não sabia dessa paralisação”, afirma. Após o término do atendimento, recebeu orientação de um bancário que terá de sacar o dinheiro no caixa da agência. “Amanhã (hoje) vai parar tudo. Não sei como vou fazer para receber meu dinheiro”, queixa-se.

Orientações
Enquanto não há acordo entre os bancários e as instituições, a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) orienta que os clientes realizem pagamentos em canais alternativos. Entre eles estão caixas eletrônicos, internet banking, aplicativos do celular (mobile banking), operações por telefone e os correspondentes – agências lotéricas, Correios, rede de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados.

O Povo

Comentários