Pular para o conteúdo principal

Após 40 anos, irmãos se encontram na Argentina

Essa é a história do neto 121, que acaba de ser encontrado pela Avós da Praça de Maio.

Presidente das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, revelou o caso.
Presidente das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, revelou o caso.

Um tinha dois anos quando sequestraram seus pais na ditadura argentina, o outro estava prestes a nascer. Um foi resgatado e o outro, roubado. Um procurava seu irmão, o outro não sabia de sua origem. Depois de 40 anos, um teste de DNA permitiu o reencontro.

Essa é a história do neto 121, que acaba de ser encontrado pela organização Avós da Praça de Maio. Aos 40 anos, soube na segunda-feira (3) que é filho de desaparecidos.

"Ele nunca suspeitou. Nós tínhamos uma indicação e alguém da Conadi (Comissão Nacional pelo Direito à Identidade) se aproximou dele. E ele disse 'não tenho dúvidas, mas se vocês acham melhor assim (fazer o teste), eu faço'", contou a presidente das Avós, Estela de Carlotto.

Seus avós já faleceram, mas esse homem que descobre sua verdadeira identidade tem um irmão, Ramiro Menna Lanzilotto, que o procurava há décadas sem saber sequer se havia sobrevivido.

"Esse é um momento muito esperado pela família, mas por outro lado uma surpresa tremenda. Há situações que se pensa que esse momento nunca vai chegar, mas no final chega. Estamos muito comovidos e mobilizados", disse Menna, nesta terça-feira (4), à rádio Vorterix.

Ramiro Menna, um professor de 42 anos, e seu irmão, dois anos mais novo, que segundo a imprensa seria um médico de Buenos Aires, ainda não se viram diretamente.

"Ainda não o vi, nem falei com ele. Não sei o que fazer porque o que ele está vivendo é muito ruim. Ele soube às sete da noite (de segunda-feira) que não era quem pensava que fosse. É muito difícil e tenho que respeitar o processo que ele está vivendo e que não é nada fácil", afirmou o irmão mais velho.

Ambos são filhos de Domingo Menna, um dirigente do Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT, marxistas), e de Ana María Lanzilotto, uma militante do PRT. O casal foi sequestrado em 19 de julho de 1976, em Villa Martelli.

Graças aos testemunhos de sobreviventes foi possível descobrir que Lanzilotto, que estava grávida de oito meses, teve o bebê em uma maternidade clandestina.

Ramiro, que quando os pais foram sequestrados ficou desaparecido por três semanas, foi encontrado pelos tios em um orfanato de Buenos Aires. Eles o criaram e na adolescência contaram sua história.

De seu irmão sabe pouco. "Sei que tem dois filhos e que é calvo com barba, como eu", disse este homem.

"Conhecer a vida de Domingo Menna e Ana Lanzilotto para mim foi motivo de orgulho, exemplo. Meu peito encheu de orgulho e espero que meu irmão sinta o mesmo", concluiu.


AFP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…