Pular para o conteúdo principal

Escultura de areia vira ponto turístico na orla de Fortaleza

A soteropolitana Maria Inês, 62, turista em Fortaleza há uma semana, aguardava pacientemente na fila para fazer um registro. “Sempre me admiro com isso. Está divino”, exclamava, enquanto avaliava, no celular, a foto feita por uma colega de viagem. Maria Inês e os companheiros de fila se encantaram com um castelo de areia construído na Praia de Iracema. 


A arte que cativou Inês e outros tantos turistas e fortalezenses, que estacionavam carros e bicicletas para admirá-la mais de perto no feriado de ontem, tem DNA cearense. Foi erguida a quatro mãos sobre sacos de areia úmida pelo ipuense Rogean Rodrigues, 35, que mora no Rio de Janeiro desde os seis anos, e por Danilo Marques, 34, que é de Nova Russas, mas morou por oito anos no Rio.

Utilizando pincéis e espátulas, os escultores de areia levaram seis dias para construir o castelo na Praia de Iracema. A obra fez do local, na avenida Beira Mar, um pequeno ponto turístico em outro e deve continuar lá até fevereiro, passando por alterações em datas como o Réveillon.

Entre os curiosos que paravam ontem para observar o castelo também houve quem criticasse a escultura. “Vejo dois erros aí: o primeiro é que ele usa alguma coisa na areia pra ela ficar dura, então não é algo natural. E o segundo é que essa escultura não retrata em nada o Ceará. No Rio, eles retratam as paisagens cariocas”, queixou-se o economista cearense José Júnior, 48, que pedalava pela orla. “Eles deviam ter feito uma jangada, a estátua de Iracema. Faria muito mais sentido”, sugeriu.

Danilo tem a explicação. Ele conta que utiliza selante para deixar a areia rígida, após a conclusão do trabalho, evitando que os fortes ventos ou a chuva desmanchem a obra. Sobre o castelo, conta que a intenção era reproduzir a Catedral de Fortaleza. “Mas o meu parceiro teve que viajar. Não daria tempo, por conta dos detalhes. Aí optamos pelo castelo”, justificou, ao mencionar que a dupla faz ainda trabalhos particulares. (Thiago Paiva)
Serviço
Para contratar os escultores de areia:
Danilo Marques: (88) 9 9733 9392
Rogean Rodrigues: (21) 9 8509 5257
O povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/