Após polêmica no Vaticano, McDonald's ajuda a combater a fome de moradores de rua em Roma

Um grupo de cardeais protestou junto ao Papa contra locação de prédio para o McDonald's. (Reuters)
Por Isla Binnie e Antonio Denti
ROMA - O McDonald's teve uma recepção morna quando abriu uma nova filial a poucos passos da Praça São Pedro no mês passado, mas nesta segunda-feira a rede de fast food aceitou um desafio ao adotar um dos princípios de maior preocupação do papa Francisco: o combate à fome.
O novo restaurante, cuja inauguração em um prédio do Vaticano em 30 de dezembro irritou alguns puristas, doou dezenas de refeições nesta segunda-feira para a caridade que as distribui em uma clínica ambulatorial em Roma.
O papa Francisco fez da defesa aos pobres e necessitados um pilar de seu papado, criando cabines de chuveiros para moradores de rua nos arredores do Vaticano, oferecendo refeições e até visitas em estilo VIP à Capela Sistina.
Nesta segunda-feira (16), moradores de ruas e pessoas necessitadas foram receber seus cheeseburgers duplos, maçãs e garrafas d'água.
Pierfrancesco Spiga, morador de Roma de 46 anos que perdeu seu emprego como jardineiro e agora dorme em uma residência administrada por uma cooperativa, disse que outras companhias deveriam imitar a iniciativa.
"Seria bom se estas companhias multinacionais dessem comida no final do dia para pessoas pobres que não tem nenhuma, ao invés de jogá-la fora", disse Spiga.
Alguns cardeais desaprovaram o aluguel do prédio no Borgo Pio à rede norte-americana pelo Vaticano e disseram que o espaço seria melhor usado para dar abrigo aos necessitados.
O McDonald's que não comentou sobre a iniciativa, prometeu mil refeições que serão distribuídas pela instituição de caridade Medicina Solidade durante os próximos seis meses.
Leia também:

Reuters

Comentários

Mais Visitadas

LAMENTAÇÕES DE UM LÁPIS

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

A Palavra Não