Estreia o projeto Jazz em Cena em Fortaleza

Gênero musical que vem crescendo entre o público da cidade, o jazz supera o estereótipo de música "sofisticada" e ganha mais um espaço em Fortaleza. O projeto Jazz em Cena tem sua estreia neste sábado (1º), no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB, Centro).

Previsto para acontecer mensalmente, com duas datas na programação (a próxima é 22 de abril), o projeto abre com o show "Monk's Songs - Tributo a Thelonious Monk". Na sequência, será a vez do espetáculo "Jazz Cigano - Tributo a Django Reinhardt". Vale destacar que o acesso é gratuito.

Na formação do tributo deste sábado, apresentam-se a cantora norte-americana Priscilla Odinmah e os músicos cearenses Hermano Faltz (guitarra), Iury Batista (contrabaixo acústico), André Benedecti (bateria) e Thiago Almeida (piano).

O repertório é baseado na obra do pianista, compositor e arranjador jazzista Thelonious Monk (1917-1982). Partindo de álbuns como "Carmem Sings Monk" (1988), a banda preparou versões para "Round midnight", "I mean you", "Monk's dream", dentre outras músicas.

Para o guitarrista Hermano Faltz, em entrevista por telefone, o tributo, inserido na estreia do Jazz em Cena, dá mais um passo em direção à construção de uma cena discreta, mas que tem formado público na cidade.

Ele aponta para algumas iniciativas regulares, além de mega ações pontuais como o Festival de Jazz & Blues de Guaramiranga (CE), que acontece, desde o ano 2000, durante a semana do Carnaval.

Segundo Hermano, "o jazz em Fortaleza tem crescido. Tem um público que está olhando, atentando para o estilo, por uma pulsão musical na cidade. Organizo, uma vez por mês, uma jam session na (Confeitaria) Sublime (bairro São João do Tauape). Tem espaço (para o jazz) na Cabaña Del Primo (restaurante Aldeota), Inkload (novo espaço cultural, no Parque Manibura), no Café Couture (Praia de Iracema)", aponta. Ele cita, ainda, similar ao novo Jazz em Cena, a programação do projeto Ceará Jazz Series.

Questionado sobre o apelo do jazz como um gênero musical acessível, Hermano Faltz coloca que o repertório jazzístico impacta de diversas formas, a depender do perfil de público (observando do músico mais experimentado ao leigo na obra do gênero). "Se o músico tem um nível técnico interessante pra entender (o jazz), ok: de um show (com repertório) de Thelonious ele vai entender muita coisa. Mas, se não, aquilo ao menos vai gerar alguma sensação, nem que seja estranha, mas você já tira alguma impressão", explica o guitarrista.

Ele pontua que a dinâmica da cultura contemporânea contribuiu para tornar o jazz algo mais fácil de digerir, pela disponibilidade de acesso à obra via internet, de nomes como o próprio Thelonious Monk e Miles Davis, por exemplo - o que ajuda a formar o público.

Monk

Recordando como Thelonious Monk apareceu na sua formação musical, Hermano Faltz enfatiza que o jazzista é repertório obrigatório para um estudante (ou para colecionadores) de jazz. "A influência reside no músico que criou à frente de seu próprio tempo e sequer compreendeu a própria genialidade", destaca Faltz.

"Ele meio que foge à regra dos standards do jazz. O trabalho dele ousou no ritmo, na harmonia, e pouca gente dava atenção a ele, na época. Thelonious precisou morrer pra todo mundo entendê-lo: com um repertório bastante extenso, ele mesmo morreu sem saber que era genial", complementa o guitarrista.

Django

No dia 22 de abril, o Jazz em Cena ganhará sequência com a apresentação do "Jazz Cigano - Tributo a Django Reinhardt". Homenageando o violonista e compositor belga, um grupo de seis músicos cearenses se reunirá no CCBNB.

Marcos Maia (violão), Paula Tesser (voz), Paulo Leniuson (violino), Claudio Miranda (contrabaixo acústico), Lucas Araujo (violão) e Marcelo Holanda (bateria) revisitarão o "jazz cigano" (gipsy jazz, ou jazz manouche), dividindo o show em duas partes.

Na primeira parte, o repertório será instrumental. Na segunda, a cantora Paula Tesser vai interpretar a obra de Django (1910-1953) e outras composições com a roupagem dessa vertente jazzística. Temas como "Minor swing", "Daphné", "Anouman", "Limehouse blues" e "Rythm futur" devem constar no show.

Mais informações:

Estreia do projeto Jazz em Cena, com o show "Monk's Songs - Tributo a Thelonious Monk". Neste sábado (1º), às 19h, no Centro Cultural Banco do Nordeste (Rua Conde D'Eu, 500, Centro). Entrada franca. Contato: (85) 3464.3108

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

O Irmão Carlos de Foucauld

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP