ONU quer acabar com missão no Haiti

A atual missão dos capacetes azuis no Haiti deverá encerrar até outubro próximo, de acordo com um relatório enviado ao Conselho de Segurança pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. No terreno deverá permanecer um pequeno contingente de militares, apenas para proteger o Estado de direito. 

Segundo as agências internacionais, a proposta de acabar com a MINUSTAH, que está no Haiti há 13 anos, surge após o governo dos Estados Unidos da América (EUA) ter anunciado cortes na ajuda económica à ONU. 

Na informação enviada ao Conselho de Segurança, Guterres explica que os 2.730 soldados no Haiti devem ser retirados gradualmente para que a missão «encerre em 15 de outubro de 2017» e que «a próxima missão será uma força de manutenção de paz menor, concentrada em proteger o Estado de direito e na formação da polícia» local. A decisão final deverá ser conhecida em abril.

Fátima Missionária

Comentários

Mais Visitadas

O STF é uma vergonha

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

Dom Aloísio em nossos corações

Além das aparências