Pular para o conteúdo principal

Arquivo no Polo Norte é inaugurado com documentos brasileiros

O Arquivo Ártico Global, uma espécie de "contêiner biblioteca", foi criado para armazenar e preservar com eficácia os mais importantes documentos digitalizados da humanidade. A estreia do acervo ocorreu na segunda-feira (27), com o depósito de documentos de Brasil, México e Noruega.

O convite para inaugurar o arquivo foi feito pelo governo da Noruega. O Brasil contribuiu com documentos como a Lei Áurea, as constituições de 1824 e 1891, fotografias da Família Imperial e de manifestações contra a ditadura militar, além da partitura da ópera "O Guarani", manuscrita por Carlos Gomes, compositor da obra.

O Arquivo Ártico Global fica na ilha de Svalbard, a 1120 km do Polo Norte. É um cofre de segurança nuclear onde qualquer país ou autoridade poderá armazenar seus dados, por meio de mídias digitais. Embora o arquipélago esteja sob soberania norueguesa, o local é território desmilitarizado por 42 nações segundo o Tratado de Svalbard, assinado em 1920.

As características ambientais do lugar – cujo solo é constituído de terra, gelo e rochas e permanece congelado o ano inteiro – permitem a preservação dos acervos por milhares de anos. Além disso, a "Embaixada de Dados", como foi apelidado o arquivo, se encontra em uma antiga mina de carvão situada a vários metros do nível do mar, o que evita inundações.

O projeto foi inspirado no Silo Global de Sementes, que armazena mais de 90% das espécies de sementes do mundo. O objetivo deste cofre é preservar a biodiversidade das espécies de cultivos que sirvam como alimento para a população mundial em caso de catástrofes. O diretor-geral do Arquivo Nacional, José Ricardo Marques, representou o Brasil na inauguração.

G1 DF

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…