Pular para o conteúdo principal

Indagações

Gonzaga Mota*
Com certeza esta manhã é a primeira do meu fim. Todavia, espero que não seja a última da minha vida. Com as bênçãos do Senhor, desejo viver mais para tentar amar, fazer o bem; ter fé e esperança; como também pedir e agradecer. Assim, deve-se buscar viver num ambiente onde prevaleçam a amizade e a solidariedade e não o interesse e a falsidade. Ademais, ser feliz não é simplesmente ter uma existência boa, mas a convicção de que apesar dos desafios e das dificuldades é importante viver. Dentro desta linha de raciocínio, apresenta-se um poema/prosa, fugindo dos aspectos formais, sem rima e sem métrica, consubstanciando indagações para refletir e, se possível, alcançar uma vida melhor. Talvez! Eis o texto, formado por 10 estrofes, sendo um terceto, oito dísticos e uma quadra: 1) A vida é um belo dom. Não se sabe a hora da partida. Passa rápido como o som. 2) Por quê ambicionar o poder? Mais vale cumprir o dever. 3) Por quê, cada vez mais, buscar o dinheiro? Importante é ser um cidadão inteiro. 4) Por quê tanta vaidade? Nunca traz felicidade. 5) Por quê a inveja? Atitude que nada almeja. 6) Por quê a ausência da solidariedade? Comportamento que leva à deslealdade. 7) Por quê a humildade? Sentimento que demonstra bondade. 8) Por quê a harmonia? Para se alcançar a sabedoria. 9) Por quê combinar fé e razão? Visando obter a verdadeira união. 10) A vida é para amar e servir. Apesar da indesejada rapidez. Vale a pena viver com lucidez. Pensando sempre no porvir. Convém lembrar, respectivamente, Manuel Bandeira e Fernando Pessoa: “Vivo nas estrelas porque é lá que brilha a minha alma” e “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.  

*Professor aposentado da UFC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08