Pular para o conteúdo principal

Manifestações e homenagens marcam cerimônia da Inconfidência em Ouro Preto

Cerimônia teve como principal homenageado, in memoriam, o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela (Veronica Manevy/Imprensa MG)
A defesa da luta incessante pela liberdade, pela justiça social, a democracia e a igualdade de direitos marcaram o discurso do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, nesta sexta-feira (21/4), durante a solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência em Ouro Preto, Território Metropolitano. A cerimônia teve como principal homenageado, in memoriam, o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela. 
A professora Valdênia Geralda de Carvalho, Diretora Administrativo-Financeira da Dom Helder, foi uma das agraciadas com a Medalha da Inconfidência Foi a segunda vez que ela recebeu a condecoração. Em 2012, Valdênia foi uma das homenageadas pelo então governador Antônio Anastasia. 
Cerca de 130 dos 171 homenageados participaram da solenidade. Celebridades da Globo como Wagner Moura, Camila Pitanga, Letícia Sabatella e Marieta Severo não compareceram para receber a condecoração.O ato foi marcado pela falta de participação popular. Professores da Rede Estadual de Minas protestaram contra as reformas propostas pelo Governo Federal. Aplausos só ocorreram quando foram chamados o técnico do Cruzeiro, Mano Menezes, e a cantora Fernanda Takai.
Lava Jato
Dos cinco políticos denunciados nas delações premiadas da Lava Jato e que seriam homenageados hoje com a medalha, apenas um compareceu: Renan Filho, governador de Alagoas e filho do senador Renan Calheiros.
Os ausentes foram os governadores Flávio Dino (do Maranhão), Rui Costa (da Bahia), Tião Viana (do Acre) e Ricardo Vieira (da Paraíba), além do deputado federal mineiro Fábio Ramalho.
Discurso
Durante discurso, Pimentel destacou os exemplos de Mandela e Tiradentes como dois dos principais líderes a serem seguidos para “superar as dificuldades e os impasses surgidos na sociedade”.
“Estamos hoje aqui reunidos para celebrar a memória de dois homens, dois heróis, dois símbolos.  Tiradentes, nosso patrono, e Nelson Mandela, nosso homenageado. Ambos são personagens que permanecem no Panteão da História representando o ideal mais sublime da cidadania, o valor mais sagrado de qualquer Nação: a liberdade”, disse.
O governador afirmou ser dever histórico relembrar o suplício a que Tiradentes foi submetido em 21 de abril de 1789, assim como os 27 anos de prisão arbitrária e injusta impostos à Nelson Mandela.
“Nesta marcha tormentosa do século 21, vamos encontrar, na personalidade singular de Nelson Mandela, uma referência que, trazendo o drama existencial de Tiradentes para o nosso tempo, sintetiza a saga daqueles que lutam pela dignidade humana e se sacrificam pela liberdade e pela paz”.

Redação Dom Total

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…