XII Bienal encerra no fim de semana

XII Bienal chega ao fim neste domingo (23), mantendo uma programação que prima pela diversidade. Lançamentos, palestras e shows estão previstos
A XII Bienal Internacional do Livro do Ceará chega ao último fim de semana em Fortaleza com programação diversa, buscando promover a inclusão social através de uma programação em braile, presença de intérpretes de libras nas mesas-redondas, atividades dedicadas a pessoas com deficiência e uma palestra sobre autismo, que ocorre neste sábado (22).
Pessoas com deficiência visual e auditiva contarão com recursos para prestigiar sessões de contação de história, peças de teatro infantil e ainda algumas palestras, que ocorrerão ao longo deste fim de semana.
Uma das atrações desta sexta-feira (21) que contará com intérpretes é a palestra do escritor João Silvério Trevisan, "30 anos de um livro, de um herói e de seus espelhos", na qual ele comentará o livro "Parabélum", de Gilmar de Carvalho, às 19h. Em seguida, também na Sala Moreira Campos, Renato Janine estará em diálogo com o professor Jackson Sampaio, sobre "O ser pessoa em um mundo em constante ebulição".
Simultaneamente, nesta sexta-feira (21), os fãs de ilustrações poderão acompanhar uma sessão de ilustração em tempo real com dois artistas convidados e, em seguida, participar de um papo com o pernambucano André Neves, premiado escritor e ilustrador de livros infantis.
Para as crianças, durante o dia, também não faltará entretenimento, graças à programação da sala Contos, Papos e Encantos. Lá, os pequenos poderão conferir o teatro de bonecos "A menina sem memória", de João Andirá, sessões de contação de histórias promovidas pelo Grupo Mirante de teatro Unifor e pela Cia Catirina, que também apresentará o espetáculo "Seu Rei Mandou".
No sábado (22), a Bienal reservou uma roda de conversa dedicada às riquezas culturais cearenses, que ocorrerá no estande do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), intitulada "Diálogos sobre o Patrimônio".
O debate marca o lançamento dos livros "Aquarelas do Ceará Oitocentista" e "Tombamento: afetos construídos", ambos oferecendo ao leitor um extenso panorama quanto às diversidades patrimoniais e históricas que permeiam o Ceará.
Outro lançamento de destaque no sábado é o livro "Mel e Fel", do cearense Antônio Teixeira Benevides Neto, que retratou através da obra suas experiências de vida, tendo como tema central a sexualidade transitória. Foi na prostituição que o autor encontrou a possibilidade de concretizar a sua transsexualidade e, assim, viver um grande amor.
Além das dificuldades familiares, estudantis e financeiras, a autobiografia relata o primeiro contato com as drogas, a temporada de dez anos de trabalho na Europa, as conquistas materiais e as decepções afetivas numa história repleta de reviravoltas. Neto publicou o livro de forma independente, com tiragem limitada, e estará autografando a obra no Espaço Natércia Campos, às 19h.
No domingo (23), o poeta, cantor e compositor cearense Evaristo Filho lança o livro "Luz", no espaço "Café Literário". O mesmo espaço conta, todos os dias, com pocket shows, performances e sessões de diálogo, sob os temas "a literatura do dia a dia", "poesia de palco" e "a canção da cidade".
O encerramento contará com os shows de Chico Walter e Hidelbrando do Acordeom e do grupo Cacimba de Aluá, ambos na Praça do Cordel, localizada no térreo do Centro de Eventos.

SERVIÇO

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Tudo começa com o caderno de caligrafia

14 etnias não têm seu idioma original preservado no Estado do Ceará

Adjetivando a vida

Intolerância: arma dos preconceituosos