Estudantes visitam Museu da Fotografia

Image-0-Artigo-2246303-1
Os visitantes se mostraram entusiasmados com as imagens fotográficas que encontraram no Museu da Fotografia Fortaleza ( Foto: Kid Júnior)
Retratos emoldurados do Museu da Fotografia Fortaleza (MFF) resgataram lembranças e despertaram a imaginação e o senso crítico dos 15 alunos da Universidade Sem Fronteiras (UNIVSF), durante visita guiada na tarde de ontem. Fixados na parede ou expostos ao chão, os registros fotográficos levaram os visitantes a uma verdadeira viagem no tempo.
De 1862 a 2013, do Rio de Janeiro a Paris. Fragmentos do passado, e destinos turísticos importantes preencheram a sala "Um imaginário de Cidades", a primeira por eles apreciada. A artesã e aluna do curso de dança, Zelda Araújo, 58, revela que, mesmo sem ter viajado a São Paulo, a fotografia foi capaz de envolvê-la. "Não tive a oportunidade de ir até lá ainda, mas ao ver a foto de pertinho, é como se eu estivesse no local".
Bem humorada, Dona Terezinha Freire, 88, disse que a sequência de fotos aumentou sua vontade de retornar aos lugares por onde já viajou. "Na minha juventude, eu já fui a muitos desses locais que estão aqui, em fotos. E, mesmo assim, quando você se depara com tanta beleza e profissionalismo desses fotógrafos, a vontade é de voltar lá". Nem mesmo as dores no pé, revela, a impediram de desistir da visita. "Eu estava e ainda continuo com dor, mas se eu tivesse ficado em casa, ia sentir o incômodo do mesmo jeito. Imagina se eu não tivesse vindo, e depois as minhas colegas começassem a falar como tinha sido bom, eu ia ficar muito chateada, além de perder a oportunidade de apreciar tanta coisa bonita e histórica", conta, aos risos.
Memória afetiva
Quando o espectador imerge no plano das memórias diante das fotografias, o educador do Museu, Yan Belém, explica que o registro teve o alcance esperado. "Elas têm o poder de contar verdadeiras histórias e estimular a memória efetiva, por isso que os alunos relembram e associam momentos importantes".
Aliado a estas lembranças, a visita também provocou o olhar crítico dos alunos da UNIVSF. Na sala "Jogos de Olhares", espaço reservado para fotografias modernas e contemporâneas, cenas de guerra e arte chamaram a atenção das visitas.
"É muito interessante ver esta pluralidade de imagens aqui no Museu da Fotografia, porque nos permite tanto apreciar o belo, quanto pensar em outros assuntos, como as guerras. É um aprendizado do início ao fim", opina Lúcia Feitosa, 68, aluna do curso de Inglês. (Colaborou Felipe Mesquita)
Enquete
Que foto atraiu seu olhar?
"Fiquei deveras encantada pelas fotografias em acrílico que tinham iluminação do artista plástico Patrick Hamilton. Sem dúvida, aliar a tecnologia a isso tudo deixa o trabalho dele ainda mais bonito"
Lia Souza - Professora
"Pelos traços fortes da fotografia 'Carvoeiros', esta foi, sem dúvida, a que eu mais me afeiçoei. O garoto com olhar triste e já trabalhando com serviço pesado, realmente me chamaram atenção"
Celeste Alcântara - Dentista

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

Amigos e familiares relembram Patativa do Assaré em especial na TV Verdes Mares

Ednardo deve ser atração no Réveillon de Fortaleza