Flip 2017 anuncia casa em homenagem a Jorge Amado e José Saramago

 
Ao lado do escritor português José Saramago, Jorge Amado tira foto com baiana no Pelourinho, em 1996 (Foto: Acervo Zélia Gattai/Fundação Jorge Amado)Ao lado do escritor português José Saramago, Jorge Amado tira foto com baiana no Pelourinho, em 1996 (Foto: Acervo Zélia Gattai/Fundação Jorge Amado)
 
A organização da 15ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) anunciou na sexta-feira (5) que vai ter um espaço em homenagem aos escritores Jorge Amado (1912-2001) e José Saramago (1922-2010).
A Casa Amado e Saramago vai ter programação paralela e o lançamento de um livro inédito com correspondências trocadas entre o best-seller brasileiro o português ganhador do Prêmio Nobel de Literatura. Está prevista ainda uma exposição de fotografias dos dois.
Os eventos devem marcar os dez anos da Fundação José Saramago e tem apoio do Ministério da Cultura de Portugal. A Fundação Casa Jorge Amado é parceira da iniciativa.
No anúncio, que foi feito no Consulado Geral de Portugal em São Paulo, foi apresentada o que a organização da Flip chama de "presença lusófona" (ou seja: vindos de países onde o português é a língua oficial) na programação principal da edição de 2017.
O "time" português, que já tinha o escritor Frederico Lourenço, que tradutor da Bíblia, ganhou o três reforços: a jovem Djaimilia Pereira de Almeida e o rapper e ativista Luaty Beirão, ambos nascidos em Angola; e a jornalista espanhola Pilar de Río, víuva de Saramago e presidente da Fundação José Saramago. Todos estão escalados para a Tenda dos Autores, local onde acontecem os debates em Paraty.

Lázaro Ramos e outros autores da Flip 2017

Antes da "presença lusófona" na Tenda dos Autores, a Flip 2017 já havia anunciado três escritores, além da sessão de abertura com Lázaro Ramos e Lilia Schwarcz .
Enquanto a historiadora e escritora falará sobre Lima Barreto, homenageado da edição, o ator lerá trechos da obra do autor. A cenografia ficará a cargo do diretor de teatro Felipe Hirsch.
Os demais confirmados na edição 2017 da festa são:

Mais sobre a Flip 2017

A 15ª Flip vai homenagear o escritor Lima Barreto. Nascido no Rio de Janeiro em 1881 e morto apenas 41 anos depois, o autor é conhecido pelo livro "Triste Fim de Policarpo Quaresma" e pelas críticas sociais e políticas ao Rio e ao Brasil.
A obra de Lima Barreto já vinha sendo cogitada como tema de discussões na Flip há alguns anos. E o evento, sobretudo em 2016, foi criticado pela ausência de autores e autoras negras em sua programação.
De acordo com a organização da Flip, "a edição resgatará a trajetória de um homem que estabeleceu-se como escritor no Rio de Janeiro, capital da Primeira República e da cultura literária do país. Em um meio marcado pela divisão de classes e pela influência das belas letras europeias, era difícil para um autor brasileiro com as suas origens afirmar seu valor".
Joselia Aguiar, jornalista que é a curadora da Flip 2017, lembrou em nota que Lima Barreto por muito tempo "ficou na 'aba' de literatura social, e sua obra e trajetória possibilitaram muitos debates sobre a sociedade brasileira".
"O que eu gostaria, mesmo, é que a Flip contribuísse para revelar o grande autor que ele é. Para além das questões importantíssimas sobre o país que ajuda a levantar, tem uma expressão literária inventiva e interessante, à frente de sua época em termos formais, capaz de inspirar toda uma linhagem da literatura em língua portuguesa."

Do G1

Comentários

Mais Visitadas

Prêmio Sesc de Literatura encerra inscrições na quinta-feira (14)

Feira da Música reúne em evento gratuito shows, tecnologia e movimentos sociais

Queixas de violência doméstica pelo 180 aumentam 133% este ano em relação a 2015

“A Paixão de Cristo”: segunda parte, “A Ressurreição”, pode estrear ainda em 2019