Nova editora Artes & Ecos estreia com foco na poesia

Quatro livros lançados nesta terça-feira pela editora estreante reúnem autores em diferentes fases da carreira

Por: Alexandre Lucchese
Nova editora Artes & Ecos estreia com foco na poesia Bruno Alencastro/Agencia RBS
O quarteto de poetas Celso Gutfreind, Lucas Krüger, Cristian Verardi e Ricardo SilvestreFoto: Bruno Alencastro / Agencia RBS 

Uma nova editora gaúcha celebra nesta terça-feira suas primeiras publicações. A Artes & Ecos lança às 19h, no bar Odessa (João Telles, 542), quatro títulos de poesia de uma só vez, conciliando autores experientes com destaques mais jovens. Os tarimbados Ricardo Silvestrin e Celso Gutfreind apresentam respectivamente Prêt-à-Porter e Tesouro Secundário, enquanto Cristian Verardi marca sua estreia literária com O Diabo Belisca Meus Calcanhares, e Lucas Krüger lança seu segundo livro, Homenagem à Nuvem
Lucas Krüger é também o criador da Artes & Ecos, que não pretende oferecer seus títulos em livrarias, mas diretamente aos leitores pela internet (arteseecos.com.br). O foco do projeto são publicações de poesia e ensaios de arte e psicanálise.
– Apostar editorialmente em poesia não deixa de ser um ato poético. É ir contra a maré imediatista e a correria do mundo contemporâneo. A poesia exige dedicação, aprofundamento na palavra, não dá pra ir só passando os olhos. Mais do que a prosa, ela te obriga a olhar para todas as lacunas e os vazios – explica Krüger.
Prêt-à-Porter reúne haicais – composições poéticas de três versos – criados por Ricardo Silvestrin entre 1998 e 2000. Os poemas ficaram engavetados porque o autor já havia explorado o formato nos livros Bashô um Santo em Mim (1988), Quase Eu (1991) e Palavra Mágica (1994).
Tesouro Secundário, de Celso Gutfreind, tem poemas que abarcam o ciclo de uma vida, com versos sobre amor, infância, arte e morte, escritos ao longo de anos de anotações.
– De certa forma, no começo, não há a ideia de livro. São poemas soltos que vão sendo escritos conforme a necessidade de escrevê-los e, para mim, a poesia é o gênero no qual a necessidade mais manda no sentido de que não posso "forçá-los" como às vezes faço na prosa dos ensaios e dos livros infantis – conta Celso.
Homenagem à Nuvem, de Lucas Krüger, foi escrito em cerca de um ano e meio, tendo um foco mais delineado. Os poemas nasceram a partir do potencial metafórico do conceito de nuvem.
– A nuvem evoca o potencial imaginativo. Quando criança eu deitava na grama e ficava observando as nuvens criarem formas, animais... Ou seja, a nuvem tem o poder da transformação e brinca com a espacialidade, é maleável – explica Krüger.
Por sua vez, o estreante Cristian Verardi, que também se dedica ao cinema, cruza diferentes referências em poemas com tons sombrios, mesclando horror e alguma ironia. "Eram tão repletos / de vida / os funerais/ de minha família", anota no poema Reunião Familiar. Mas é nos versos de Incompatibilidades que o poeta se autodefine: "Tenho / fígado / de Bukowski / e coração / de Ofélia".
Prêt-à-porter
De Ricardo Silvestrin
Poesia, Artes & Ecos, 90 páginas, R$ 25.
Tesouro Secundário
De Celso Gutfreind
Poesia, Artes & Ecos, 126 páginas, R$ 35.
Homenagem à Nuvem
De Lucas Krüger
Poesia, Artes & Ecos, 102 páginas, R$ 35.
O Diabo Belisca Meus Calcanhares
De Cristian Verardi
Poesia, Artes & Ecos, 82 páginas, R$ 25.

Zero Hora

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Tudo começa com o caderno de caligrafia

Missão da Unesco faz primeira visita ao Museu Nacional

Livro aborda a memória crítica da escravidão

Bancário faz sua estreia como escritor