Nova editora Artes & Ecos estreia com foco na poesia

Quatro livros lançados nesta terça-feira pela editora estreante reúnem autores em diferentes fases da carreira

Por: Alexandre Lucchese
Nova editora Artes & Ecos estreia com foco na poesia Bruno Alencastro/Agencia RBS
O quarteto de poetas Celso Gutfreind, Lucas Krüger, Cristian Verardi e Ricardo SilvestreFoto: Bruno Alencastro / Agencia RBS 

Uma nova editora gaúcha celebra nesta terça-feira suas primeiras publicações. A Artes & Ecos lança às 19h, no bar Odessa (João Telles, 542), quatro títulos de poesia de uma só vez, conciliando autores experientes com destaques mais jovens. Os tarimbados Ricardo Silvestrin e Celso Gutfreind apresentam respectivamente Prêt-à-Porter e Tesouro Secundário, enquanto Cristian Verardi marca sua estreia literária com O Diabo Belisca Meus Calcanhares, e Lucas Krüger lança seu segundo livro, Homenagem à Nuvem
Lucas Krüger é também o criador da Artes & Ecos, que não pretende oferecer seus títulos em livrarias, mas diretamente aos leitores pela internet (arteseecos.com.br). O foco do projeto são publicações de poesia e ensaios de arte e psicanálise.
– Apostar editorialmente em poesia não deixa de ser um ato poético. É ir contra a maré imediatista e a correria do mundo contemporâneo. A poesia exige dedicação, aprofundamento na palavra, não dá pra ir só passando os olhos. Mais do que a prosa, ela te obriga a olhar para todas as lacunas e os vazios – explica Krüger.
Prêt-à-Porter reúne haicais – composições poéticas de três versos – criados por Ricardo Silvestrin entre 1998 e 2000. Os poemas ficaram engavetados porque o autor já havia explorado o formato nos livros Bashô um Santo em Mim (1988), Quase Eu (1991) e Palavra Mágica (1994).
Tesouro Secundário, de Celso Gutfreind, tem poemas que abarcam o ciclo de uma vida, com versos sobre amor, infância, arte e morte, escritos ao longo de anos de anotações.
– De certa forma, no começo, não há a ideia de livro. São poemas soltos que vão sendo escritos conforme a necessidade de escrevê-los e, para mim, a poesia é o gênero no qual a necessidade mais manda no sentido de que não posso "forçá-los" como às vezes faço na prosa dos ensaios e dos livros infantis – conta Celso.
Homenagem à Nuvem, de Lucas Krüger, foi escrito em cerca de um ano e meio, tendo um foco mais delineado. Os poemas nasceram a partir do potencial metafórico do conceito de nuvem.
– A nuvem evoca o potencial imaginativo. Quando criança eu deitava na grama e ficava observando as nuvens criarem formas, animais... Ou seja, a nuvem tem o poder da transformação e brinca com a espacialidade, é maleável – explica Krüger.
Por sua vez, o estreante Cristian Verardi, que também se dedica ao cinema, cruza diferentes referências em poemas com tons sombrios, mesclando horror e alguma ironia. "Eram tão repletos / de vida / os funerais/ de minha família", anota no poema Reunião Familiar. Mas é nos versos de Incompatibilidades que o poeta se autodefine: "Tenho / fígado / de Bukowski / e coração / de Ofélia".
Prêt-à-porter
De Ricardo Silvestrin
Poesia, Artes & Ecos, 90 páginas, R$ 25.
Tesouro Secundário
De Celso Gutfreind
Poesia, Artes & Ecos, 126 páginas, R$ 35.
Homenagem à Nuvem
De Lucas Krüger
Poesia, Artes & Ecos, 102 páginas, R$ 35.
O Diabo Belisca Meus Calcanhares
De Cristian Verardi
Poesia, Artes & Ecos, 82 páginas, R$ 25.

Zero Hora

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado