Rádio Nacional de Brasília completa 59 anos

Julia Buonafina Rocha*
Inezita Barroso se apresenta no auditório da Rádio Nacional de Brasília - Acervo Arquivo Público do Distrito Federal
Inezita Barroso se apresenta no auditório da Rádio Nacional de Brasília - Mário Fontenelle, 21/04/1959 -Acervo Arquivo Público do Distrito Federal
Inaugurada no dia 31 de maio de 1958, a Rádio Nacional de Brasília completa hoje (31) 59 anos. A emissora era um dos principais meios de comunicação dos candangos quando a capital ainda estava sendo construída.
Destaque pela programação, que conta com música popular brasileira (MPB) tradicional e contemporânea, música instrumental, novos talentos e a música de artistas de Brasília, a Nacional é transmitida em todo o Distrito Federal e entorno, além de ser disponibilizado pela internet e por satélite digital.
A emissora oferece 28 programas, que vão de política a cultura. Além da programação musical, oferece eventos para promover a cultura local, como o Festival de Música da Rádio Nacional FM, realizado desde 2009.
Para a comemoração dos 59 anos, a emissora contará com uma programação especial. Desde o início do ano, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), à qual a rádio é vinculada, trabalha na montagem da exposição A Voz do Coração do Brasil - a recriação de um estúdio da Rádio Nacional dos anos 70 a 80, que será inaugurado hoje.
A exposição mostra a história da emissora e a restauração de equipamentos da época. A recriação do estúdio é a primeira etapa do projeto, que integra o plano de trabalho de 2017 da Gerência Executiva de Comunicação. A meta é montar, na sede da EBC, uma exposição permanente para contar a história dos veículos que formam a empresa.
Além da exposição, a Rádio Nacional de Brasília contará com a presença de historiadores, escritores e dos jornalistas Ronaldo Costa Couto e Adirson Vasconcelos, que estarão no estúdio para falar sobre a relação entre Brasília e a Rádio Nacional.

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

O STF é uma vergonha

Dom Aloísio em nossos corações

Além das aparências