Redes sociais dos órgãos de segurança facilitam denúncias

Perfis disponibilizam contatos específicos para denúncias.
O uso de redes sociais como canais de denúncia tem se tornado uma atividade comum entre os internautas. Nos grupos fechados ou em perfis abertos, registros em vídeos e em fotos têm ajudado na identificação de suspeitos de crimes, por exemplo.
Aproveitando este movimento, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) decidiu investir nas redes sociais para se aproximar da população e criar novos canais para denúncias. Hoje, os perfis do órgão no Facebook, Instagram e Twitter são utilizados para divulgar as ações da polícia assim como os serviços prestados. Além da SSPDS, delegacias especializadas também estão na rede.
“Em relação à Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), a iniciativa vai ao encontro das pessoas, sendo a aproximação com os cidadãos o principal foco do uso das mídias sociais por parte da especializada. Além disso, a medida objetiva facilitar o máximo possível essa comunicação com a população, principalmente no momento da denúncia, para que o trabalho policial possa ser realizado de forma cada vez mais eficiente.
Secretário antenado
Outras delegacias também fazem o mesmo trabalho de divulgação em redes sociais, como é o caso da Unidade Tático Operacional (UTO), da Divisão Antissequestro (DAS), afirma a SSDPS. Além dos órgãos oficiais, um dos grandes apoiadores do uso de perfis na Internet para aproximação da população é o secretário da SSPDS, delegado André Costa.
“O secretário da Segurança, André Costa, incentiva bastante a atividade, sendo um defensor do uso das mídias sociais. A orientação da SSPDS é que as Forças de Segurança se aproximem da população o máximo possível, no intuito de reforçar a parceria com os cidadãos e mostrar o trabalho que está sendo feito, em uma prestação de contas à sociedade”, explica a Secretaria.
A página do Facebook da SSPDS conta com mais de 20 mil seguidores. Para os internautas, o canal pode servir de contato da população com a Polícia Militar, Bombeiros, Perícia Forense (Pefoce) e ainda para obter informações sobre  a Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (AESP).
“O objetivo de utilizar as redes sociais é garantir um canal direto entre o Sistema de Segurança Pública e os cearenses e demais pessoas que queiram conhecer o trabalho desenvolvido pelo órgão, além de ser mais um canal de denúncia que conta com a rapidez da comunicação proporcionada por meios de comunicação como esses”, reforça a SSPDS.
Para a DCTD, o objeto é semelhante. “Uma das vantagens dessa comunicação é a facilidade de alcançar pessoas de todas as idades, classes sociais e regiões, como as que moram no interior, por exemplo – pois a sede da especializada fica em Fortaleza. Além disso, possibilita o atendimento e verificação imediatos de denúncias anônimas, dando respostas mais rápidas e eficientes por parte da Polícia judiciária, por meio da DCTD”, pontua.
Mais informações:
SSPDS-CE:
Facebook
Twitter
Delegado André Costa
Facebook
Instagram

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Tudo começa com o caderno de caligrafia

Missão da Unesco faz primeira visita ao Museu Nacional

Bancário faz sua estreia como escritor

Livro aborda a memória crítica da escravidão