Deus, amor e comunhão

Padre Geovane Saraiva*

O Mistério da Eucaristia ou transubstanciação como dogma, chama nossa atenção e faz-nos pensar, a partir do sólido fundamento do edifício eucarístico, na festa de Corpus Christi, na ceia, o sacrifício do Cordeiro de Deus. É importante que fique sempre e cada vez mais claro que as substâncias do pão, no corpo de Jesus, e do vinho, no mesmo sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, permanecem inalteradas nas espécies do pão e do vinho. Ora, devemos, de modo sobrenatural, transformar-nos em Cristo, como o pão se transforma no corpo de Cristo e o vinho no Seu sangue. É Cristo entrando no nosso mundo, não só para chamar a atenção das pessoas, mas para que todos participem da vida de Deus.

Nosso Deus é solidário e próximo de seu povo; é um Deus comunhão que quer não só partilhar a vida entre si, mas quer entrar na vida daqueles que abraçam a fé, buscam respeito, acolhida e compreensão solidária. Pela força da eucaristia, numa enorme vontade de superar diferenças e antagonismos, somos chamados a formar uma só coisa; somos chamados a colocar, diante dos olhos e do coração, um Deus que fez tudo por amor e também cuida de sua obra, enviando-nos como seus ardorosos colaboradores, pela força de sua palavra.

É a voz de Deus a clamar aos cristãos de hoje, alimentados pela Eucaristia como  dom e graça, dentro da comunidade dos batizados, assim como clamou e penetrou no coração do mundo no decorrer dos séculos em toda a sua plenitude. Convém recordar as sábias palavras de Dom Helder: “Quando as palavras somem, quando os cuidados adormecem, quando nos entregamos, de verdade, nas mãos do Senhor, o grande silêncio nos mergulha na paz, na confiança e na alegria”.

Que a solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, tão visível nas procissões, manifestação pública de fé dos Católicos no mundo inteiro, leve-nos experimentar mais e mais o amor e a bondade infinita de Deus.

*Pároco de Santo Afonso, Jornalista, Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Comentários

Mais Visitadas

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade

A Palavra Não