Família de jovem desaparecido no Acre fecha acordo com editora para publicação de livros

 

Polícia Civil do Estado tem "fortes indícios" de que caso seja jogada de marketing

 
Família de jovem desaparecido no Acre fecha acordo com editora para publicação de livros Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução / Facebook  

A família do estudante Bruno Borges, de 25 anos, desaparecido desde o dia 27 de março, fechou acordo com uma editora para a publicação dos livros criptografados deixados pelo jovem. Ao G1, o empresário Athos Borges, pai do estudante, disse que a data de lançamento ficará a critério da empresa, que não foi divulgada.
Ao site, Athos disse que versões em e-book e livro físico serão lançadas ao mesmo tempo, mas que outros detalhes ficam por conta da editora:
– Dependemos da editora que comprou os direitos. Vai ser feito da maneira dela, ela vai decidir como vai ser o lançamento.
Depois do desaparecimento de Borges, foram encontrados 14 livros escritos à mão, alguns nas paredes e no chão do quarto, além de uma estátua de 2 metros do filósofo Giordano Bruno (1548 - 1560). Os textos, que receberam o título de Teoria de Absorção de Conhecimentos, trata de técnicas para potencializar a absorção e criação de conhecimentos.
No final de maio, a Polícia Civil do Acre disse ter encontrado "fortes indícios" de que o desaparecimento do jovem tenha ocorrido para impulsionar a divulgação dos livros. O departamento de inteligência afirmou que, no mesmo dia em que o rapaz desapareceu, um contrato falando de faturamento das obras foi registrado em Rio Branco.
Também em maio, Marcelo Ferreira, 25 anos, amigo do estudante, foi preso por prestar falso testemunho à Polícia Civil. Na casa do detido, foram encontrados contratos em que Bruno destina parte da venda de livros a Marcelo e a outras duas pessoas. Móveis de Bruno foram encontrados na casa de Mário Gaiote, outro amigo do desaparecido. No entendimento da polícia, o crime é caracterizado pela omissão dessa informação em depoimento.

Comentários

Mais Visitadas

As dores da humanidade

Tudo começa com o caderno de caligrafia

Missão da Unesco faz primeira visita ao Museu Nacional

Livro aborda a memória crítica da escravidão

Bancário faz sua estreia como escritor