Academia Brasileira de Letras completa 120 anos de fundação

Historiador João José Reis recebeu o prêmio Machado de Assis.
‘Se Machado existiu, o Brasil é possível’, diz a imortal Nélida Piñon. 



A Academia Brasileira de Letras completou nesta quinta-feira (20) 120 anos de fundação.
“Esta casa nasce de uma utopia engendrada por jovens, o que é um sinal maravilhoso para o Brasil de hoje, que vive momentos de grande descrença. Eu digo uma coisa relativo a Machado de Assis: se Machado existiu, o Brasil é possível”, diz a imortal Nélida Piñon.

Resultado de imagem para Academia Brasileira de Letras completa 120 anos de fundação
Machado de Assis fazia parte de um grupo de intelectuais sonhadores que fundaram a Academia Brasileira de Letras, e foi presidente da casa por dez anos. Durante todo o tempo de vida da ABL, 292 acadêmicos conquistaram o direito de ocupar as cadeiras.
“O que marcou, o que as pessoas distinguem em mim é ser acadêmico. As impressões digitais de ser acadêmico são definitivas”, afirma outro imortal, Marcos Villaça.
A academia é um ambiente diverso para a troca de ideias. Gente que se destaca na política, na diplomacia, na poesia, na medicina.
E foi um historiador, João José Reis, referência pelos estudos da escravidão no século 19, que recebeu o prêmio Machado de Assis.
E a festa terminou com um concerto.
“Cada grupo de acadêmicos que se renova, que vai constituindo a casa, tem esta grande responsabilidade, manter o brilho dessa aura. E essa é a nossa contrapartida para a sociedade que nos privilegia tanto”, disse Domício Proença Filho, presidente da ABL.
G1/JN

Comentários

Mais Visitadas

Físico brasileiro recebe Prêmio Templeton de 2019

Câmara homenageia mulheres que se destacaram na luta por direitos

Inep cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019

Primeira edição da Semana de Arte Unifor abraça diversidade de linguagens e expressões

Capela revestida por milhares de ossos é ponto turístico excêntrico em Portugal