Flip 2017: autores dão dicas a escritores iniciantes; FOTOS

"Que dicas você dá a alguém que queira se tornar um escritor, como você?"
Foi esta a pergunta que o G1 fez a quatro convidados da 15ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que terminou neste domingo (30).
Eles de estilos bastante variados: tem romancista premiado, autor de não ficção, cantor e acadêmico:
  • o premiado jamaicano Marlon James;
  • o rapper e ativista angolano Luaty Beirão;
  • a historiadora Lilia Schwarcz, biógrafa de Lima Barreto;
  • o português Frederico Lourenço, tradutor da 'Bíblia'
Em geral, sugerem fé si mesmo e, principalmente, estilo original (nada de imitar autor bem-sucedido).

Veja, abaixo, as dicas dos autores da Flip 2017:

 
Ganhador do Man Booker Prize de 2015 e astro da Flip 2017, o jamaicano Marlon James, autor de 'Breve história de sete assassinatos', aconselha: 'Sempre acredite no seu valor. Seu tempo chegará quando você for o único a acreditar em si mesmo' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)
Ganhador do Man Booker Prize de 2015 e astro da Flip 2017, o jamaicano Marlon James, autor de 'Breve história de sete assassinatos', aconselha: 'Sempre acredite no seu valor. Seu tempo chegará quando você for o único a acreditar em si mesmo' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)
 
O rapper e ativista luso-angolano Luaty Beirão, que lançou na Flip 2017 um diário da época em que esteve preso por ler um livro 'subversivo', dá a seguinte dica: 'Nunca deixe ninguém fazer com que você duvide das suas próprias capacidades. insista até que funcione. Não imite, seja original' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)
O rapper e ativista luso-angolano Luaty Beirão, que lançou na Flip 2017 um diário da época em que esteve preso por ler um livro 'subversivo', dá a seguinte dica: 'Nunca deixe ninguém fazer com que você duvide das suas próprias capacidades. insista até que funcione. Não imite, seja original' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)
 
O português Frederico Lourenço, tradutor da 'Bíblia' do grego para o português, recomenda: '
O português Frederico Lourenço, tradutor da 'Bíblia' do grego para o português, recomenda: '"A fonte principal da escrita é a vida e, por isso, o escritor tem de viver de forma inteira, mergulhado na vida, mas ao mesmo tempo mantendo a capacidade de se observar a mergulhar' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)
 
A historiadora e escritora Lilia Schwarcz, autora da biografia 'Lima Barreto: Triste visionário', dá a dica: ''Queridos amigos jovens escritores, curiosidade e solidariedade são os segredos' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)
A historiadora e escritora Lilia Schwarcz, autora da biografia 'Lima Barreto: Triste visionário', dá a dica: ''Queridos amigos jovens escritores, curiosidade e solidariedade são os segredos' (Foto: Luís Filipe Pereira/G1)

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado