Mercado dos Pinhões será Polo Cultural e Gastronômico

Image-0-Artigo-2273676-1
A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Cultura (Secultfor), inaugura, nesta quarta-feira (26), o Mercado Cultural dos Pinhões, prédio anexo do Mercado dos Pinhões, no Centro. A ideia é que os dois equipamentos funcionem como o Polo Cultural e Gastronômico de Fortaleza, apresentando festivais gastronômicos temáticos com destaque para a culinária cearense, mas integrados a programação cultural já existente.
Segundo a pasta, as ações culturais propostas ao anexo estão alinhadas ao Plano Municipal da Cultura, visando promover o incentivo e a difusão da arte para os mais diversos públicos, valorizar as manifestações artísticas locais e consolidar o lugar como um espaço de referência para a cidade, o turismo e a gastronomia. A expectativa é que a revitalização do anexo também otimize a prestação de serviços à comunidade local.
Para promover essa integração, estão sendo construídas duas passagens de nível, uma interligando o Mercado Cultural dos Pinhões e o Mercado dos Pinhões e outra ligando este a um restaurante vizinho, segundo detalhou a secretária executiva de Cultura da Prefeitura de Fortaleza, Paola Braga. "Com isso vamos conseguir fechar os eventos do Mercado dos Pinhões e fazer essa integração com todos os comerciantes no entorno, que também trabalham com gastronomia", afirma.
Os equipamentos contarão, ainda, com show musicais e feiras de artes. Conforme Paola Braga, a programação do Mercado Cultural acompanhará os dias dos eventos já existentes no Mercado dos Pinhões. Além disso, acrescenta, a rua do Mercado Cultural deve ser fechada aos fins de semana para que as pessoas circulem livremente sem a interferência dos veículos.
A reforma do Mercado Cultural dos Pinhões, a cargo da Secretaria Regional do Centro, foi orçada em R$ 297.078,08 e contou com a criação do segundo piso, quatro novos boxes, área de convivência, restauro de 14 boxes e o dimensionamento do restante de área do pavimento térreo para novos espaços, como a administração, banheiros, área para plataforma de elevador para deficientes e escada de acesso ao 2º piso. A cobertura e a estrutura metálica também foram recuperadas e o equipamento recebeu novas instalações elétricas, hidráulicas, para-raios, gás e combate a incêndio. A obra contou, ainda, com novos revestimentos, pavimentações e itens de acessibilidade.
A fachada do prédio recebeu uma intervenção artística em parceria com a empresa Bossa On The Wall. Durante a inauguração será realizado, ainda, o Festival de Comida di Boteco, onde chefs de cozinha apresentarão pratos da culinária nordestina. O evento é realizado pela Associação dos Chefs de Cozinha do Ceará, em parceria com a Prefeitura de Fortaleza, por meio das Secretarias da Cultura e do Centro.
Valorização
Para o professor do Mestrado Acadêmico em História da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e pesquisador da Linha de Práticas Urbanas, Erick Assis, a iniciativa se destaca por valorizar a cultura e a gastronomia local, assim como o incentivo a circulação de pessoas, otimizando a geração de renda e aquecendo a economia.
O alerta, no entanto, é para que o local não adquira estética de praças de alimentação de shoppings centers e seja democrático. "Que se tenha uma razoabilidade dos valores para não ficar coisas abusivas e ser mais um espaço instalando um apartheid social. Também é importante que o Mercado continue sua trajetória tendo um aspecto de preservação histórica, isso pode ter um uso ainda mais diversificado do que era. O foco na alimentação poderia ser incrementado com a informação histórica, que são grande lacunas desses equipamentos", avalia.
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado