Pular para o conteúdo principal

Dia Nacional de Combate ao Fumo conscientiza sobre danos do tabaco

Psicóloga do INCA destaca que recaída é esperada no processo de parar de fumar, mas não significa fracasso

Thiago Coutinho
Da Redação
Data nacional atenta para ações de conscientização sobre danos do tabaco / Foto: Arquivo Canção Nova
Nesta terça-feira, 29, é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. O principal objetivo desta data é acentuar ações nacionais de sensibilização e mobilização da população acerca dos danos sociais, políticos e econômicos causados pelo tabaco.
Considerada uma droga de caráter psicoativa, o tabaco produz alterações no humor e gera dependência, devido à nicotina. Largar o vício não depende única e exclusivamente do dependente, como esclarece a psicóloga Vera Borges, da Divisão de Controle do Tabagismo do Instituto Nacional de Câncer (INCA) órgão que realiza atividades periódicas de combate ao fumo.
“Essa esperada ‘força de vontade’ é entendida por muitas pessoas como um poder de superação expressivo do tabagista, que ao exercitá-lo, terá resolvido o problema e deixará de fumar. Na prática não é exatamente assim, porque a dependência química compromete seu poder de escolha. Muitas vezes o tabagista promete para si mesmo e aos outros que deixará de fumar, mas tem dificuldades”, explicou Vera.
Daniel Claro deixou de fumar há oito anos e hoje pratica esportes diariamente / Foto: Arquivo Pessoal
O carioca Daniel Claro deixou de fumar há oito anos com a ajuda de um remédio. O que o motivou a abandonar o vício em caráter definitivo foi a morte por câncer de pulmão de um amigo próximo. “Fui vê-lo no hospital e me assustei com seu estado, pois ele não reconhecia ninguém. Desde então, nunca mais fumei e passei a praticar diversas atividades físicas”, relatou. Atualmente, Daniel pratica esportes e atividades físicas regularmente.
Há tratamentos disponíveis para abandonar este vício, mas a eficiência vai de acordo com cada indivíduo. “Em todas as dependências químicas, a recaída pode ocorrer, e com o tabagismo não é diferente. Isso se dá ao fato de haver nicotina nos produtos do tabaco, que ao ser retirada pode produzir grande desconforto físico, fazendo com que o tabagista volte a fumar, ou seja, recaindo”, esclareceu Vera.
Roberta Cardoso viveu uma experiência similar ao quadro apresentado pela psicóloga. Fumante há muitos anos, passou os últimos seis meses sem tocar em um cigarro, mas acabou tendo uma recaída recentemente. “Resolvi parar no final do ano passado. De uma hora para outra. Parei por algum tempo, mas em alguns meses voltei. Foi aquela história, ‘só hoje’”, disse. “Minha meta é parar. Minha mãe parou depois de 40 anos fumando. Se ela conseguiu, eu também consigo”, reiterou, esperançosa.
A recaída é um efeito esperado, o que não significa que a pessoa não conseguirá se livrar do vício. “É importante entender que a recaída é esperada, mas não significa fracasso. Ela faz parte do processo para deixar de fumar, até que o tabagista aprenda a lidar com a dependência química”, relatou Vera Borges, acrescentando que os esforços em prol das ações para acabar com o tabagismo continuam, apesar das tentativas contrárias por parte da indústria do tabaco. “O compromisso de reduzir a prevalência de tabagistas no mundo é meta de que a saúde pública não abre mão”, ressaltou a médica.
O tabagismo pode trazer os mais diversos malefícios: câncer no pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga, estômago e fígado são os mais comuns. “Além de comprometer a qualidade de vida de seus usuários, ainda causa danos financeiros pelo fato de comprar cigarros diariamente e adoecer fumantes passivos”, finaliza Vera.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …