Pular para o conteúdo principal

Ex-Trem da Alegria faz 40 anos de carreira e relembra baque ao deixar grupo

Gisele Alquas
Do UOL, em São Paulo
  • Reprodução/Facebook
    Luciano Nassyn tem 44 anos e atualmente é músico, produtor e terapeuta holístico
    Luciano Nassyn tem 44 anos e atualmente é músico, produtor e terapeuta holístico
Luciano Nassyn, 44, que alcançou fama na década de 1980 com o Trem da Alegria, comemora 40 anos de carreira. O cantor, que já trabalhava com publicidade e música desde os 4 anos, entrou no grupo aos 12 e passava mais tempo ao lado de Patrícia Marx, Juninho Bill, Vanessa e Amanda - que substituiu Patrícia - do que com a família. Amigos inseparáveis na época, Luciano relembra dos shows, das brigas com os integrantes e dos ciúmes que eles sentiam entre si.
"Tínhamos umas brigas homéricas, discutíamos muito, mas era legal, nos tornamos uma família. Até hoje a Patrícia é uma irmã. Eu e o Juninho tivemos divergências profissionais, nos afastamos, mas depois voltamos a nos falar, é uma pessoa que adoro. Com a Vanessa e Amanda falo pouco, mas nunca perdemos contato", afirma Luciano em entrevista ao UOL.
Ele conta que o grupo fazia mais de 20 shows por mês e que estudavam em aviões, ônibus e hotéis. Tanta convivência gerava ciúmes entre os integrantes, mas nada que abalasse a amizade. "Tínhamos muito ciúmes entre a gente. Se o Juninho ficava conversando com outros meninos, eu ficava muito bravo", diz.
Divulgação
Luciano Nassyn, ex-Trem da Alegria, faz show em homenagem aos 40 anos de carreira
Segundo Luciano, os pais deles é que se desentendiam entre si por vaidade. "Às vezes o que estraga o ser humano é o ego inflado. Com a gente não existia isso. Nossos pais se davam bem, mas era complicado por causa desse problema de um querer que o outro aparecesse mais", relembra.
O ex-astro mirim entrou para o Trem da Alegria depois de participar de um festival de música no SBT e foi lá que ele conheceu Juninho Bill, que cantou uma música de Luciano chamada "Incrível Huck". Depois, Luciano e Patrícia Marx participaram do programa "Clube da Criança", da extinta TV Manchete, com Xuxa e o palhaço Carequinha. Com o sucesso da atração, surgiu o Trem da Alegria. 
Luciano deixou o grupo, que lotava estádios de futebol, em 1989, aos 15 anos, e lançou carreira solo. A decisão não foi dele, mas da gravadora. O músico conta que foi bem difícil deixar o Trem da Alegria, mas que aprendeu a lidar com o afastamento.
"Eu já estava 'velho' para o grupo, era o mais alto da turma. Não estar mais com os meus amigos me deu um baque, não foi fácil. Eles queriam que eu fizesse dupla com a Vanessa, mas eu queria cantar rock. Três anos depois lancei meu disco solo, foi legal, mas não teve tanta divulgação. E foi bem na época em que o sertanejo estourou no Brasil, então o disco passou batido", lamenta.
O cantor ressalta que não se arrepende de nada que viveu. "Tudo era bom. Hoje tenho mais 500 músicas compostas que estou enviando para artistas. Estou produzindo videoclipes e novas músicas e vou lançar em breve", adianta ele, que realizou recentemente um show em homenagem aos seus 40 anos de carreira com repertório nostálgico.

Consultas como terapeuta holístico

Além de trabalhar com música, Luciano Nassyn passou a se dedicar profissionalmente à terapia holística e vibracional e oferece consultas espirituais pela internet e pessoalmente. Ele afirma que tem uma espiritualidade aflorada desde pequeno e que recentemente resolveu exercer de forma mais objetiva sua mediunidade.
"Teve uma época que olhava para as pessoas e não sabia se estavam vivas ou mortas. Comecei a sentir a espiritualidade mito forte. Passei por várias religiões e fui buscando terapia alternativas", explica o ex-astro mirim, que mantém um canal no Youtube sobre a terapia.
Reprodução
O grupo Trem da Alegria era formado por Juninho Bill, Vanessa, Luciano e Patrícia Marx

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …