Pular para o conteúdo principal

I Encontro de Música Instrumental da UFC transforma Fortaleza em polo de discussão e difusão das mais diferentes frentes sonoras

O título desta matéria pode até soar pomposo - afinal, quando comenta-se sobre o expediente da "erudição", um dos primeiros sentimentos que emerge é um processo de conhecimento hermético e, por vezes, excludente. Na contramão desse modelo, há quem entenda que uma instrução vasta e variada passa por dividir conhecimentos. Esta, em uma leitura inicial, é a missão do I Encontro de Música Instrumental da Universidade Federal do Ceará (UFC).
Oficialmente, o evento acontece de hoje (15) até 20 de agosto, reunindo uma série de atividades em torno da música produzida no Ceará e Brasil. Outro atrativo da empreitada é ocupar diferentes espaços culturais e acadêmicos da Capital. A premissa é que toda a cidade respire música no mais puro sentido.
A programação tem a característica democrática de reunir a experiência de musicistas consagrados à de realizadores que começam a dar os primeiros passos na área. Vontade de aprender e compartilhar vivências é, necessariamente, um dos requisitos básicos.
Conhecido carinhosamente como "EMI-UFC", o I Encontro de Música Instrumental conta com oficinas de instrumento e práticas de conjunto no Instituto de Cultura e Arte (ICA) da UFC, além de apresentações artísticas em diversos espaços de Fortaleza, como a Seara da Ciência da UFC (localizada no Campus do Pici), auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC), foyer do Theatro José de Alencar (TJA) - ambos no Centro - e auditório da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará. Todas as apresentações serão abertas ao público.
Músicos e estudantes de Música de todos os níveis se inscreveram via formulário online para as oficinas e práticas de conjunto. Segundo a produção, mais de 150 alunos se inscreveram até sábado (12). Agora, o próximo passo é desenvolver cada linguagem musical e estabelecer o maior contato do público cearense com a canção instrumental produzida no País.
Semana
Para inaugurar as atividades do EMI, hoje, das 14h30 às 17h30, acontece a masterclass de violoncelo na Escola de Artes Casa de Vovó Dedé (Rua Jerônimo de Albuquerque, 445, Barra do Ceará), com o Prof. Fábio Presgrave, do Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Doutor em Música pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o violoncelista carioca recebeu os títulos de Bacharel e Mestre em Performance pela renomada Juilliard School of Music em Nova York, onde estudou com Harvey Shapiro e Joel Krosnick. Ainda nos EUA, recebeu os prêmios "Eleanor Slatkin" e "Felix Salmond".
Como solista, apresentou-se junto a orquestras como a Qatar Philarmonic, Orquestra Sinfônica Brasileira, Camerata Fukuda, Orquestra Sinfônica da Bahia e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. Enquanto professor de violoncelo, lecionou na Universidade Nacional de Brasília (UNB), Universidade Estadual Paulista (UNESP) e no Instituto Baccarelli.
Presgrave divide com os músicos cearenses a experiência adquirida como professor convidado em grandes centros de ensino musical, como Juilliard Pre-College, Folkwang Universitat der Kusnte - Essen, Muesnter MusikHochSchule, USP, Seminários Internacionais de Música da UFBA, Curso Internacional de Verão de Brasília, Festival Música nas Montanhas em Poços de Caldas, Semana da Música de Ouro Branco, Festival de Inverno de Domingos Martins e Festival Internacional de Campos do Jordão.
Outros nomes dedicados ao estudo e pesquisa da canção aproximam suas trajetórias através do EMI-UFC. Entre os dias 16 e 19, por exemplo, a programação em torno do ICA conta com as seguintes oficinas: clarinete, contrabaixo, flauta transversal, saxofone, trombone, trompete, violão, violino/viola, violoncelo, harmonia e improvisação na música popular, piano correpetidor e música de câmara, práticas percussivas/batuque das escolas públicas, regência orquestral, vivência de improvisação livre para instrumentistas e voz instrumental.
Ainda serão oferecidas práticas de conjunto nas áreas de orquestra sinfônica, orquestra jazz sinfônica e Camerata de cordas.
Apresentações
No quesito apresentações musicais, o EMI será aberto com a Camerata de Cordas da UFC, UFRN Cellos e Banda Sinfônica da UFC na quarta-feira (16), a partir das 18h, no Auditório Deputado João Frederico Ferreira Gomes (Assembleia Legislativa do Ceará).
Com atividades iniciadas em Janeiro de 2016, como conjunto de música de câmara do ICA-UFC, a Camerata de Cordas da conta com direção das profas. Dra. Liu Man Ying (violino e viola) e Ms. Dora Utermohl de Queiroz (violoncelo e contrabaixo). A Camerata apresenta um repertório pedagogicamente selecionado e atua como um conjunto de apoio musical às disciplinas de ensino coletivo de cordas do curso de Licenciatura em Música da UFC campus Fortaleza.
Fundado em 2008, o conjunto "UFRN Cellos" reúne alunos dos cursos Técnico, Bacharelado e Mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A formação nos últimos anos contou com alunos de vários estados do Brasil e de países como Alemanha, Argentina, Dinamarca e Equador.
O grupo já se apresentou em importantes festivais do Brasil como o "Rio Cello Encounter", Mostra Internacional de Música de Olinda, Festival Virtuose e Festival Música nas Montanhas em Minas Gerais. A extensa programação do EMI guarda o caráter de agregar as mais variadas vertentes instrumentais. Entre os destaques da agenda de shows estão "Maracatus, Afoxés, Coroações, Rezas e Outros Batuques", com Inês Mapurunga e participação especial de Catherine Furtado e Descartes Gadelha (que acontece na sexta-feira, 18, às 19h, no auditório da Seara da Ciência).
Já no sábado (19), no Auditório Dragão do Mar, acontece "Entre Villas e Tons, Caetanear o que há de Bem", concerto protagonizado pelo Grupo de Violoncelos da UFC. Criada em 2015 sob coordenação da profa. Dora Utermohl de Queiroz, o intuito do projeto é criar um espaço de interação e prática para os 22 estudantes de violoncelo da UFC que integram esta atividade. Segundo os organizadores, o EMI se projeta como um território de vivências e experiências mediadas pelo poder da música instrumental.
O encontro conjuga todas as áreas de ensino instrumental do curso de Licenciatura em Música do Instituto de Cultura e Arte da UFC, oferecendo oficinas de instrumento e de práticas de conjunto de grupos musicais com o objetivo de fomentar o aperfeiçoamento e compartilhamento de experiências. No dia 20, a partir das 17h, a proposta sai do papel e ganha vida. Na ocasião, acontece o concerto da Orquestra Sinfônica do EMI, no TJA, atividade que reúne os participantes das oficinas. Ou seja, será um dos momentos máximos da semana.
Mais informações:
Abertura do I Encontro de Música Instrumental da UFC (EMI-UFC). Nesta quarta, às 18h, no Auditório Deputado João Frederico Ferreira Gomes (Assembleia Legislativa do Ceará - Av. Des. Moreira, 2807, Dionísio Torres). Apresentações da Camerata de Cordas da UFC, UFRN Cellos e Banda Sinfônica da UFC. Gratuito. Contato: (85) 3366.9223
Programação completa: www.facebook.com/EMIUFC/

Fique por dentro

A casa onde a palavra "amor" é igual à cultura
Com mais de duas décadas de atividades na capital cearense, a Casa de Vovó Dedé promove o estabelecimento da educação através das artes no bairro Barra do Ceará. A entidade sem fins lucrativos disponibiliza assistência social a crianças, adolescentes, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade social, oferecendo cursos ligados à música, canto, artes visuais, dança, uso da tecnologia e até um clube de leitura. Nesta primeira edição do MIS-UFC, a entidade ganha espaço de destaque na programação, com a masterclass de Fábio Presgrave. Fundada em 1993, a iniciativa sem fins lucrativos transformou-se, em 2002, em escola de música, após a morte do fundador, Francisco de Paula Barbosa, mais conhecido como Mansueto Barbosa. A principal missão da entidade é promover a educação através das artes e da disseminação do saber. Atualmente, a Casa de Vovó Dedé atende mais de 900 pessoas, que moram na Barra.

Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …