Aluna surda defende dissertação de mestrado em 1ª banca da USP traduzida em língua de sinais

do BOL, em São Paulo
  • Ricardo Benichio/Folhapress
    Estudante defende dissertação de mestrado em banca totalmente traduzida em Libras
    Estudante defende dissertação de mestrado em banca totalmente traduzida em Libras
A aluna Natália Francisca Frazão, de 32 anos, defendeu sua dissertação de mestrado em educação pela USP em Ribeirão Preto (SP), em uma banca totalmente traduzida em Libras, a língua brasileira de sinais. 
De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo, o feito é inédito na universidade e aconteceu na última segunda-feira (4). Durante 4 horas, a estudante Natália, que é surda, defendeu sua tese com auxílio de duas intérpretes, que traduziam a língua para membros da banca, e vice-versa.
A estudante é graduada em administração, escolheu fazer pós-graduação em administração de empresas, e tem por objetivo contribuir com a inclusão e acessibilidade de surdos no ambiente acadêmico. A dissertação que lhe valeu o título de mestre fala sobre as lutas sociais estabelecidas pela associação de surdos da cidade de São Paulo.
(Com informações do jornal Folha de S.Paulo)

Comentários

Mais Visitadas

José, servo bom e fiel

Câmara homenageia mulheres que se destacaram na luta por direitos

Nossos escritores

Físico brasileiro recebe Prêmio Templeton de 2019

Inep cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019