Pular para o conteúdo principal

BRASIL , O PESO É O MESMO AS MEDIDAS É QUE SÃO DIFERENTES

            Com bastante frequência, tenho sido surpreendida com motoristas trafegando com seus veículos pela contramão. Para encurtar o caminho. Para evitar dar uma volta imensa no quarteirão. Motivos não faltam. O mais impressionante é a naturalidade com que fazem isso. Sem titubear, com uma velocidade considerável e sem demonstrar qualquer constrangimento pelo fato de estarem errados.
            Ainda na contramão da história, o cidadão que paga seus impostos em dia (IPTU, IPVA, IR, etc), multas de trânsito, dentre tantos outros encargos que são pagos ao ente estatal, são preteridos por aqueles que não pagam em dia. Todos os anos, os governos, no afã de arrecadar, concedem benefícios maravilhosos àqueles que se mostram inadimplentes, numa verdadeira inversão de valores, deixando claro que vale a pena não pagar nada em dia.
            E enquanto as contas públicas estão deficitárias, apresentando rombos altíssimos, a justificar uma “necessária” reforma da previdência, o governo federal gasta rios de dinheiro com emendas parlamentares, com liberação de verbas, tudo para comprar os votos necessários para sua manutenção no poder.
            Em um momento crítico em que a sociedade brasileira necessita passar sua história a limpo, desvendando e desmascarando os corruptos e corruptores que provocam imensa sangria nos cofres públicos, os Tribunais Superiores concedem liberdade a investigados de conhecida e inequívoca perniciosidade, absolvem réus com provada e comprovada culpa, negam prisões a quem deveriam prender.    
            Quando a sociedade brasileira clama por um sistema eleitoral mais transparente e menos corporativista, o Legislativo Federal aprova uma “reforma” capaz de garantir aos candidatos e partidos políticos um navegar tranquilo nos mares da impunidade, além de aprovar um fundo de valor estratosférico, obrigando o povo a pagar a conta para que, logo mais, continue sendo extorquido e vilipendiado.
            Ainda na contramão, diante de inúmeras provas de ilícitos praticados, de atos de corrupção, os réus inflam o peito e se declaram inocentes, vítimas de armadilhas destinadas a destruí-los, sendo o acusador o grande mentiroso, movido por propósitos pessoais.
            Andar na contramão parece ser a sina do Brasil.
            E para o brasileiro que não anda na contramão, tudo o que lhe importa é a consciência tranquila de agir corretamente.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …