Pular para o conteúdo principal

Cineteatro São Luiz recebe mostra de terror, clássicos dos anos 1930 às produções mais recentes

a
Festivais, maratonas e mostras especiais. Assim é feita a divulgação de filmes clássicos de velhos favoritos do público, na programação do Cineteatro São Luiz de Fortaleza, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado (Secult). Esta semana, o projeto Mostra Gêneros do Cinema é dedicado ao terror. A partir desta terça-feira (19) até a sexta-feira (22), serão exibidos nove produções que não podem faltar no repertório dos fãs deste gênero. As sessões – duas ou três por dia – são gratuitas.
“Fizemos um recorte que cobre 90 anos do gênero”, explica Duarte Dias, programador e curador de cinema do Cineteatro São Luiz. “Começamos com os clássicos da década de 1930, de quando o terror se consolidou no campo cinematográfico. A gente abre a mostra com ‘Drácula’, de 1931, e finaliza com ‘Drácula de Bram Stoker’ (1992), de Francis Ford Coppola. São dois filmes marcantes sobre esse personagem tão presente no imaginário de quem curte esse gênero cinematográfico”, adianta. 
Além de duas versões da história do conde vampiro da Transilvânia, serão exibidos “Frankenstein” (1931) e “A Noiva de Frankenstein” (1935), com Boris Karloff no papel da criatura; “O Bebê de Rosemary” (1968), de Roman Polanski; “O Iluminado” (1980), de Stanley Kubrick; “A Hora do Pesadelo” (1984) e “Pânico” (1996), de Wes Craven; e o recente “Invocação do Mal” (2013).
A Mostra Gêneros do Cinema é uma oportunidade para conferir, entre outras coisas, as transformações técnicas, estéticas e narrativas do cinema de terror – que, paradoxalmente, costuma seduzir ao tempo em que também causa repulsa, revelando temores mais primitivos. Esse gênero se inicia focado em personagens marcantes, como o Drácula, Frankenstein e a Múmia e ao longo do tempo esse foco vai mudando para questões triviais fantásticas, nascendo novos ícones do terror como o assassino dos pesadelos Freddy Krueger, da franquia “A Hora do Pesadelo”.
Programação
A mostra abre nesta terça-feira com “Drácula” e “O Iluminado”, às 16h e às 18h30, respectivamente. O “Drácula” de 1931 foi dirigido por Tod Browning e tem classificação etária de 14 anos. A obra conta a história do conde vampiro (Bela Lugosi), vindo dos Cárpatos, que aterroriza Londres por carregar uma maldição que o obriga a beber sangue humano para sobreviver. 
Com classificação de 16 anos, “O Iluminado” foi baseado no romance de mesmo nome do escritor Stephen King. Dirigido por Stanley Kubrick, ele mostra um homem (Jack Nicholson) que é contratado para vigiar um hotel, durante um rigoroso inverno. Coisas estranhas começam a atormentar o homem, pondo em risco sua mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). 
No segundo dia a mostra traz a exibição de três longas; “Frankenstein”, às 14h, “A Noiva de Frankenstein”, 16h e “O Bebê de Rosemary”, às 18h30, todos com classificação indicativa de 14 anos. Henry Frankenstein (Colin Clive) é um cientista louco que vagueia à noite pelo cemitério na companhia de Fritz (Dwight Frye), à procura de diversos cadáveres para fazer um único homem. Em “A Noiva de Frankenstein”, o Dr. Frankenstein (Colin Clive) e seu monstro retornam e agora querem criar uma nova criatura, uma mulher (Elsa Lanchester) para ser a companheira da criatura monstruosa. Nas duas produções, a criatura é vivida por Boris Karloff, seu intérprete mais famoso até hoje.
Em “O Bebê de Rosemary” um jovem casal, interpretado por Mia Farrow e John Cassavetes, se muda para um prédio habitado por estranhas pessoas, onde coisas bizarras acontecem. Quando ela engravida, passa a ter estranhas alucinações e a desconfiar que marido está envolvido em algo sinistro.
Diversidade
Dirigido por Wes Craven, um dos mestres do terror no cinema, “A Hora do Pesadelo” (1984, 16 anos) apresentou ao mundo o personagem Freddy Krueger (Robert Englund). No filme, um grupo de adolescentes tem pesadelos horríveis e perigosamente reais, com um homem deformado com garras de aço. O filme abre as sessões de quinta-feira (21), às 16 horas.
Ele será seguido, às 18h30, por “Invocação do Mal”, de 2013, dirigido por James Wan. Ron Livinston e Lili Taylor encontram em sua nova casa uma entidade demoníaca. Decididos a continuarem a morar na casa o casal contrata a famosa dupla de investigadores paranormais, Patrick Wilson e Vera Farmiga, que no começo desacreditam no caso, mas decidem fazer uma visita. A sexta começa com outro clássico de Wes Craven – “Pânico” (1997), às 16h. E, ao cair da noite, a mostra se encerra com a versão de Francis Ford Coppola para a história de Drácula, um dos últimos grandes filmes de vampiro já feitos.
Mais informações:
Mostra Gêneros do Cinema – De terça-feira (19) até sexta-feira (22), com sessões às 14h, 16h e 18h30, no Cineteatro São Luiz Fortaleza (Rua Major Facundo, 500 – Centro).
Gratuito.
Contato: (85) 3231.9461

Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08