Curso Básico de Histórias em Quadrinhos, do projeto HQCeará, promovido pela Fundação Demócrito Rocha, é vencedor de prêmio nacional

O Curso Básico de Histórias em Quadrinhos, do projeto HQ Ceará, oferecido pela Fundação Demócrito Rocha em parceria com a Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), ganhou o troféu HQMix na categoria Grande Contribuição. A premiação, que divulgou seus vencedores na última sexta, 1º, já existe há 29 anos e é considerada a mais importante do gênero no Brasil. A série Edição Especial, do canal HBO, também ganhou na mesma categoria. O troféu será entregue em cerimônia no dia 17 deste mês, em São Paulo.
“Para mim foi uma surpresa muito boa. É o primeiro curso a distância em quadrinhos do País, tem o pioneirismo dessa iniciativa”, comenta Raymundo Netto, coordenador geral do projeto. O curso foi composto de 12 fascículos e 12 vídeo-aulas que falavam sobre temas como narrativas e roteiros, tiras, criação, edição e o mercado de HQs e foi projetado por cerca de 23 quadrinistas do Estado. Guabiras, cartunista do O POVO, fez as ilustrações. Ao todo, foram 6,2 mil inscritos de quase todo o País, “menos do Acre”, explica o coordenador.
Além do curso, o projeto HQCeará incluiu palestras com convidados nacionais e locais, shows, oficinas e exposições. Ao final, foi lançada a coletânea Antologia HQ, que reúne obras de diversos quadrinistas cearenses, com curadoria de Daniel Brandão, quadrinista e editor. A obra também concorreu ao prêmio em duas categorias, Publicação Mix e Publicação Nacional.
Essa é a quarta vez que Daniel está envolvido a um projeto que é agraciado com o troféu HQMix, “mas dessa vez veio com uma carga maior de importância pelo coletivo”, comemora. “É um prêmio que está chegando para profissionais que na verdade representam um recorte do mercado cearense de quadrinhos. Tem gente do interior, de diversas linhas de trabalho, diversas idades, então foi realmente para buscar uma representatividade bem próxima de como estava o mercado”.
Para Pedro Brandão, quadrinista que estuda HQs em seu mestrado em comunicação social e que escreveu um dos fascículos do curso, ganhar o prêmio é interessante por poder ver reconhecido nacionalmente esse trabalho todo feito por artistas cearenses. “De certa forma fura a bolha, que é real, de que quadrinhos bons são feitos apenas no Sul e no Sudeste. Traz o foco para a nossa Região, que é muito rica e tem uma produção enorme de quadrinhos”, pondera.
Além disso, Pedro acredita que a partir dessa iniciativa e do reconhecimento do prêmio, mais pessoas possam se inserir no mundo dos quadrinhos. “Prêmios servem para isso, mostram algo que a gente nem sabe que era feito, abrem os olhos, as pessoas vão ver e se interessar, é como um ciclo vicioso”, diz.
“O verdadeiro valor é na verdade ter o reconhecimento de outros artistas, que vão passar a pensar o mercado cearense de outra forma. Tem uma natural banalização do que é feito na sua cidade, mas com isso (o prêmio), eles passam a perceber que temos profissionais tão bacanas quanto de outros eixos”, completa Daniel.
Raymundo adianta que entre o final desse mês e o começo de outubro, o curso deve abrir novas inscrições pelo site da Fundação Demócrito Rocha.
LARISSA PACHECO
O Povo

Comentários

Mais Visitadas

15 de novembro de 1889

O Irmão Carlos de Foucauld

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

O mundo reconciliado em Cristo

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado