ÍCARO : SOBRE SONHAR ALTO

Grecianny Carvalho Cordeiro*
Sonhar nunca é demais.
            Em termos de sonhos, devemos sonhar o mais alto possível. Porque sonhar é da essência do ser humano. Uma vida sem sonhos mostra-se sem sentido, torna-se desmotivada, seu gosto é amargo, sua cor é acinzentada.
            Pasífae era casada com Minos, rei de Creta.
            Pasífae se apaixonou por um touro de verdade, então, pediu a Dédalo, um habilidoso mestre-artífice, para que construísse uma vaca e, para seduzir o touro, escondeu-se dentro dela. O touro, ao ver a vaca, a ela se juntou, e Pasífae gerou o Minotauro, chamado Astério, o monstro com cabeça de touro.
            Diante do nascimento de Minotauro, Pasífae pediu ajuda a Dédalo, pois precisva de um lugar para escondê-lo. Dédalo construiu o labirinto. E por muito tempo o Minotauro ali ficou preso, até ser morto pelo herói ateniense Teseu.
            Acontece que Minos descobriu as façanhas de Dédalo para ajudar sua esposa Pasífae a traí-lo e, como punição, após a morte do Minotauro, aprisionou Dédalo no próprio labirinto que construíra, junto com seu filho, o jovem Ícaro.
            Ícaro era jovem demais e não aceitava ser aprisionado naquele labirinto horrendo, perdendo-se diariamente entre suas paredes e não chegando a lugar algum.
            Diante da tristeza e da impaciência do filho, Dédalo usou sua engenhosidade para construir asas para o filho, utilizando cera do mel de abelhas e penas de gaivota. Com as asas, o filho poderia fugir do labirinto sem que Minos pudesse alcançá-lo.
            Dédalo advertiu o filho que tomasse cuidado, pois se voasse muito alto, muito perto do sol, as asas poderiam derreter, e se voasse muito baixo, as asas poderiam ficar bastante pesadas e cairia no mar.
            Ícaro estava empolgado demais para voar e alcançar a sonhada liberdade.
            A exemplo de muitos jovens, Ícaro não deu ouvidos às advertências do pai.
            E voou alto.
            Ícaro não se conteve e bateu as asas o mais forte que pode, até se aproximar do sol, encantado pela sensação de poder, de confrontar com o astro rei. Mas o intenso calor do sol começou a derreter as asas feitas de cera.
            Ícaro então caiu nas águas do mar Egeu.
            Que sonhemos muito.
            Que voemos alto.
            Mas que tenhamos sempre os pés e as mentes voltadas para a realidade, para que não surpreendamos com as quedas que não sejamos capazes de nos recompor com honradez e com dignidade.
            Que nossa ambição não seja tamanha a ponto de vendermos nossas almas, violentando nossa essência, que a arrogância não nos embote o caráter.
            Porque a vida sempre cobra um preço.


*Promotora de Justiça

Comentários

Mais Visitadas

LAMENTAÇÕES DE UM LÁPIS

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade

A Palavra Não

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI