FILOCTETES – O proscrito pode se tornar essencial

Grecianny Carvalho Cordeiro*
Filoctetes era filho do rei Peias. 
Quando Hércules vestiu a túnica entregue pela esposa Dejanira, a ser oferecida em sacrifício a Zeus, no monte Eta, o herói foi tomado por um tormentoso sofrimento, pois a vestimenta estava embebida pelo sangue envenenado do centauro Nesso.
Hércules não conseguiu acender a fogueira em que faria o sacrifício a Zeus, sendo ajudado por Filoctetes. Como recompensa, Filoctetes recebeu o arco e as flechas divinas do herói que, desesperado pela dor, se jogou no fogo, para alcançar a imortalidade e seu lugar no Olimpo. 
Filoctetes comporia a esquadra grega que seguiria em direção à Troia, entretanto, ele fora assomado por um infortúnio: 
Quando os navios gregos pararam na ilha de Lemnos, Filoctetes fora picado por uma serpente, daí advindo um ferimento que exalava um enorme fedor, além de causar-lhe dores excruciantes. 
O exército grego sentiu-se bastante incomodado pelos gritos terríveis de Filoctetes e, por sugestão de Ulisses, ele fora abandonado na ilha de Lemnos.
Somente muitos anos depois, no auge da guerra de Troia, os gregos tomaram conhecimento de uma profecia, segundo a qual, a cidade troiana somente seria tomada com a ajuda das poderosas flechas de Hércules, herdadas justo por Filoctetes.
Diante disso, Diomedes foi o guerreiro encarregado de retornar a Lemnos e resgatar Filoctetes.
Recuperado dos ferimentos, Filoctetes guardaria imenso rancor contra Ulisses, por ter tido a ideia de abandoná-lo na ilha, em meio à dor e ao sofrimento. Contudo, ele tinha pleno conhecimento de sua importância na tomada de Troia e sua alma de guerreiro falava mais alto.
Após um duelo épico travado com Páris, Filoctetes mataria o belo príncipe troiano com uma de suas flechas envenenadas. Seria aquele o ponto decisivo na derrocada troiana.
Sem Filoctetes, então traído e abandonado pelos seus pares, Troia jamais seria tomada.
Os gregos perceberam o grave erro cometido quando deixaram um de seus valiosos guerreiros entregue à própria sorte. E foi muito tempo depois que conseguiram reparar tal erro, trazendo-o de volta ao seu convívio e cuidando de seus ferimentos.
Filoctetes, de proscrito, passou a ser figura essencial, a peça chave, para a tão almejada conquista de Troia, após uma batalha que duraria dez anos.
Isso nos mostra que, mesmo aqueles que nos parecem substituíveis e sem qualquer importância, podem se tornar imprescindíveis em nossas vidas.


*Promotora de Justiça

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado