Morre Armando Hart, líder histórico da Revolução cubana

Após a vitória da revolução de 1959, o intelectual Armando Hart foi ministro da Educação (1959-65) e da Cultura (1976-97).
Armado Hart, ex-membro do governo cubano e amigo de Fidel Castro, assiste à inauguração de exposição de fotos em 12 de agosto de 2014, em Havana
Armado Hart, ex-membro do governo cubano e amigo de Fidel Castro, assiste à inauguração de exposição de fotos em 12 de agosto de 2014, em Havana (AFP/Arquivos)

Armando Hart, ideólogo próximo a Fidel Castro e um dos dirigentes históricos da Revolução cubana, morreu neste domingo (26), em Havana, aos 87 anos, de insuficiência respiratória, anunciou a imprensa local .
"O destacando combatente revolucionário Armando Hart Dávalos faleceu na tarde deste domingo por causa de uma insuficiência respiratória", noticiou a versão digital do jornal Juventud Rebelde.
Hart, que tinha problemas de saúde e se movimentava em cadeira de rodas, era advogado de profissão e foi dirigente do Movimento 26 de julho, liderado por Fidel Castro, que faleceu no ano passado.
Após a vitória da revolução de 1959, foi ministro da Educação (1959-65) e da Cultura (1976-97).
Também foi membro do Comitê Central do governista Partido Comunista (único).

AFP

Comentários

Mais Visitadas

O Irmão Carlos de Foucauld

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais em SP

MASP completa 50 anos de histórias

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado