Pular para o conteúdo principal

'Downsizing': a solução é encolher para salvar o planeta

Em um futuro não muito distante, os cientistas conseguem reduzir os humanos a apenas 12,5 centímetros.
Cena do filme
Cena do filme "Downsizing" ("Pequena Grande Vida", título em português). (Divulgação)

Reduzir-se ao tamanho de um rato para prejudicar menos o meio ambiente e ter menos gastos foi a opção escolhida pelo personagem interpretado por Matt Damon no filme "Downsizing" ("Pequena Grande Vida", título em português), que estreia nesta sexta-feira nos Estados Unidos.
Em um futuro não muito distante, imaginado e dirigido pelo americano Alexander Payne, os cientistas conseguem reduzir os humanos a apenas 12,5 centímetros de estatura.
Motivados por aspirações ecológicas e financeiras, Paul Safranek (Matt Damon), um terapeuta desiludido mas bem intencionado, e sua esposa Audrey (Kristen Wiig) decidem se submeter a este processo de encolhimento. Mas ela muda de opinião na última hora, deixando o marido sozinho em suas aventuras em miniatura.
Aí entra em cena Ngoc Lan Tran (Hong Chau), uma empregada doméstica vietnamita encolhida à força depois de ser presa por dissidência em seu país de origem. Ela também teve uma perna amputada na altura do joelho após entrar clandestinamente nos Estados Unidos escondida em uma caixa de televisor.
Paul e ela criam uma amizade, dando à história um toque romântico inesperado que permite ao cineasta Alexander Payne explorar a busca de uma vida melhor com o fantasma de uma catástrofe ambiental como pano de fundo.
Desafios ambientais
O diretor explicou recentemente a uma plateia em Los Angeles que o processo de encolhimento poderia ser a opção menos pior para a humanidade perante os desafios ambientais, sem que ficasse claro se ele estava brincando.
"Não é que eu seja pessimista, mas quando você lê o jornal todos os dias - ou ao menos quando fazíamos isso - não consegue pensar em outra solução", afirmou.
"Não podemos habitar outros planetas e não podemos esperar que todos morram devido às mudanças climáticas, à guerra nuclear, à fome", disse Alexander Payne, que trabalhou com seu colaborador de muitos anos Jim Taylor no roteiro.
O duas vezes ganhados do Oscar por "Os Descendentes" e "Sideways - Entre Umas e Outras" elogiou a atuação de Hong Chau, que apareceu recentemente na série "Big Little Lies" da HBO. Hong Chau foi indicada a vários prêmios prestigiosos de Hollywood.
"Meus pais são refugiados vietnamitas, vieram para cá sem falar o idioma e não contavam com nenhum sistema de apoio. Viemos para cá porque tínhamos um patrocinador familiar em Nova Orleans", contou a atriz, de 38 anos.
O filme, da Paramount, recebeu uma pontuação de 62% no site de críticas de cinema Rotten Tomatoes.

AFP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …