Pular para o conteúdo principal

Em livro de contos, Socorro Acioli homenageia língua portuguesa

A escritora cearense Socorro Acioli, já consagrada na literatura infantojuvenil e especialmente conhecida por seu romance A cabeça do santo, lança no dia 9 de dezembro, às 18h30min, na Livraria Cultura, o livro de contos Diga Astrasgud (Editora Dummar). A autora conversará sobre o livro com o jornalista Jáder Santana e a escritora Tâmara Bezerra fará a leitura de contos da nova obra.
Com ilustrações do artista visual Carlus Campos, que este ano completa 30 anos de carreira, a coletânea é composta por 11 contos curtos, tendo a linguagem como tema principal. Esse é o primeiro livro de contos da autora, que se mostra empolgada com o projeto: “Eu sempre tive vontade de escrever um livro de contos, mas não sabia para qual público. O que sempre me fez adiar o projeto foi a busca por um tema, um fio que ligasse um conto ao outro. Até que surgiu a ideia de escrever sobre as palavras e os seus usos engraçados, inusitados, surpreendentes. Nós todos vivemos cercados delas. Foi assim que surgiu o Diga Astrasgud, quando eu comecei a pensar nas palavras mais marcantes da minha vida.”
Os contos passeiam entre o ficcional e o autobiográfico, sempre deixando uma reflexão a respeito da língua portuguesa. No conto Ela salva todos, Socorro compartilha com o leitor um episódio real da sua relação com a filha, e conta como esse episódio mudou a maneira de encarar seu próprio nome. A experiência da maternidade também é mencionada no conto Não disse nada, quando uma filha admite ter permanecido em silêncio ao ser questionada sobre as qualidades da mãe.
O livro também possui outros contos que brincam com as possibilidades do português, como o trabalhado Casei com Caio Carlos, uma carta escrita apenas com palavras iniciadas pela letra C, e o Até o poeta, cujo título é um dos vários palíndromos que compõem a narrativa, no qual um menino isolado por só falar ao contrário encontra nesse artifício da língua uma forma de se inserir na comunidade. O conto que dá nome ao livro, Diga astrasgud, é outra divertida história, sobre um homem sério que passa a atender ao telefone falando apenas “astrasgud”, uma palavra inventada, no lugar do conhecido “alô”.
Com sua narrativa leve, Socorro constrói um universo de histórias que exaltam o uso da língua portuguesa, sem deixar de respeitar a individualidade de cada falante no seu modo de se expressar. Apesar de voltado para o público infanto-juvenil, o livro deve agradar leitores de todas as faixas etárias.

Serviço

Lançamento do livro Diga Astrasgud
Quando: dia 9 de dezembro às 18h30min
Onde: Auditório da Livraria Cultura (Av. Dom Luís, 1010 – Meireles – Piso 1 – Loja 8)
Quanto: R$ 29,90. E-book: 17,90
Entrada gratuita

Com informações da Assessoria de Comunicação
Boa Notícia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …