Pular para o conteúdo principal

Exposição de um dia reflete sobre o tempo e o papel da imprensa

É com uma trajetória de grandes exposições que a Multiarte, uma das galerias de arte mais antiga da Capital, comemora 30 anos este mês. Nos últimos anos, além das exibições, o espaço tem recebido grupos de estudos dedicados à reflexão e ao pensamento artístico.
Desses encontros surgiu o projeto experimental ma.té.ri.a, iniciativa que tem como mestre e curador o artista visual Solon Ribeiro.
Durante os últimos sete meses, Solon reuniu um coletivo de artistas para a realização de pesquisas que resultaram em um projeto de livro cujo fio condutor é a imprensa e as matérias de jornal.
Solon comenta que os objetos que integram ma.té.ri.a foram concebidos como livros, embora admita que tais itens podem ficar “desconfortáveis” numa biblioteca ou, ainda, que possam ter seu estatuto “questionado”. O curador explica que, em um primeiro contato, os livros “não se reconhecem” como tal, visto que não permitem a leitura por meio do código escrito ou não foram elaborados em papel ou para serem folheados. “É precisamente neste estranhamento que se encontra a sua grande potência”, explica.
O artista plástico Marco Ribeiro, que aborda em sua obra a passagem do tempo, comprou edições do O POVO durante 30 dias corridos e fez a leitura do periódico de “ponta a ponta” a fim de encontrar palavras e frases que fizessem referências cronológicas e meteorológicas à sua abordagem. A escolha se justifica pelo intuito de produzir algo “surreal”. Segundo o artista, o tempo em sua obra “não é o tempo real” porque não é possível medir com clareza o que seria passado, presente e futuro atualmente. “É como se estivéssemos vivendo em paralelo com a realidade”, detalha.
Cada artista seguiu por um caminho, escolhendo o jornal, se seria impresso ou digital, nacional ou internacional, e qual seria a sua temática. O grupo de estudos é formado por nomes de diversas linguagens e estilos: Cadeh Juaçaba, Cecília Bichucher, Cristina Vasconcelos, Marco Ribeiro, Sérgio Gurgel, Sérgio Helle e Wilson Neto.
A exposição ma.té.ri.a traz dois diferenciais. O primeiro, como aponta o gestor da galeria, Victor Perlingeiro, é a escolha dos livros de artistas. Apesar de “não serem novidade” na história da arte, os livros reúnem em seu escopo uma multiplicidade de estilos, “artistas tanto jovens quanto com certa trajetória na Cidade”, que ainda não haviam experimentado o formato dessa maneira. O segundo ponto, segundo Victor, é a “finitude breve” da exibição, com duração de apenas um dia. A escolha por tal limitação de tempo faz referência à durabilidade do jornal impresso, que traz notícia com “validade de um dia”. 
Serviço
Exposição ma.té.ri.a
Quando: hoje, às 20 horas.
Onde: Galeria Multiarte (rua Barbosa de Freitas, 1727 - Aldeota)
Gratuito.
Telefone: 3261-7724
MARCELA BENEVIDES
O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08