Pular para o conteúdo principal

Natal: Tradição dos postais resiste e adapta-se em mundo digital

Escritora Alice Vieira sublinha força da palavra escrita

Lisboa, 15 dez 2017 (Ecclesia) – A tradição de escrever postais de Natal está no centro da mais recente edição do Semanário ECCLESIA, na qual a escritora Alice Vieira fala da sua própria experiência e da força que a palavra escrita mantém.
“Foi-me ensinado que no Natal se escrevia e mandava um ‘postalzinho’ às pessoas a desejar boas festas e, desde aí, continuei sempre a enviar”, refere à Agência ECCLESIA, contando como começou este gosto pela escrita de postais.
“As pessoas já não sabem o que é ou para que serve um postal, imagine!”, acrescenta a escritora, que envia postais amigos ou mesmo a desconhecidos que tomam a iniciativa de lhe escrever, “muitas do estrangeiro”.
Recebe postais típicos do Natal, feitos pelos próprios autores, postais com arte aplicada e postais com presépios africanos enviados pelos Missionários Combonianos, com quem colabora.
“Escolho muito bem os postais, passo muito tempo a escolher um postal para cada pessoa, sei do que gostam e demoro… Ao menos naquele bocadinho em que estivemos a escolher e a escrever aquelas linhas sabem que estivemos a pensar neles, estiveram na nossa cabeça e no nosso coração, e isso é muito importante”, precisa.
A escritora defende que “há sempre maneiras de dizer uma frase diferente” e escolhe muito bem os postais a enviar.
“A palavra tem muita força e às vezes as frases pequenas têm muita importância”, realça.
Alice Vieira pertence à organização ‘Postcrossing’, tal como Cecília Vigário, que no Semanário Ecclesia deixa um desafio aos leitores: “Tornem o vosso Natal mais intenso. Redijam postais de gratidão. Redijam postais de amor e amizade. Personalizem as vossas emoções. Perpetuem a beleza imensa de uma tradição tão rica, poderosa e regeneradora. Um Santo Natal”.
O ‘Postcrossing’ é um projeto que permite às pessoas interessadas enviar postais e recebê-los de outras pessoas, de forma aleatória, em todo o mundo.
A edição do Semanário ECCLESIA inclui ainda uma entrevista ao Custódio da Terra Santa, Frei Francesco Patto, franciscano, que fala das mensagens recebidas em Belém
“Mais do que mensagens em Belém para o Menino Jesus, recebemos mensagens por parte de famílias que pedem o dom dos filhos, sobretudo na Gruta do Leite, este lugar que é muito próximo da Gruta da Natividade. Chegam muitíssimas cartas de jovens casais, de famílias que pedem, por intercessão de Maria e do Menino Jesus, o dom de poder ter filhos”, relata.
“Depois são muitas as cartas que chegam a agradecer, é algo muito bonito que em Belém se peça isto, que se peça para poder acolher a vida”, acrescenta o religioso.
SN/PR/OC
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …