Pular para o conteúdo principal

Uso de anticoncepcionais aumenta o risco de câncer de mama, revela estudo

(ACI).- Um estudo recente realizado por um grupo de cientistas dinamarqueses revelou que as mulheres que usam qualquer tipo de anticoncepcionais hormonais são mais propensas a contrair o câncer de mama.
A pesquisa, apoiada pela Fundação Novo Nordisk, foi publicada em 7 de dezembro no ‘New England Journal of Medicine’. Foi desenvolvido pelos cientistas Lina Morch, Charlotte Skovlund, Philip Hannaford, Lisa Iversen, Shona Fielding e Ojvind Lidegaard.
Os especialistas avaliaram 1,8 milhões de mulheres entre 15 e 49 anos.
O estudo durou mais de dez anos e descobriram 11.517 casos de câncer de mama dentro deste grupo.
O estudo também revelou que, a cada 100 mil mulheres que usam anticoncepcionais hormonais, há 68 casos de câncer de mama por ano.
Além disso, os resultados da pesquisa demostraram que não só os métodos anticoncepcionais antigos causavam câncer de mama, como também os métodos modernos de anticoncepcionais hormonais, como o dispositivo intrauterino de liberação de hormônio, as pílulas e outros implantes.
David Hunter, professor de epidemiologia e medicina da Universidade de Oxford, disse ao ‘New York Times’ que havia esperança de que os anticoncepcionais hormonais modernos “estivessem associados com um risco menor. Este é o primeiro estudo com dados substanciais que demonstra que este não é o caso”.
Por sua parte, Marisa Weiss, oncologista que fundou o site breastcancer.org, declarou ao site que a pesquisa de cientistas dinamarqueses é “importante porque não tínhamos ideia de como as pílulas modernas eram comparáveis às pílulas antigas em termos do risco de câncer de mama, e não sabíamos nada sobre isso em relação aos dispositivos intrauterinos”.
“E se somamos os milhões de mulheres que tomam a pílula, isso se torna uma grande preocupação para a saúde pública”, continuou.
Este não é o único estudo que revelou que o uso de anticoncepcionais aumenta o risco de câncer de mama. Em 2014, uma investigação realizada por um grupo de médicos da Índia descobriu que “o uso prolongado de pílulas anticoncepcionais é mais alto entre as mulheres que sofrem de câncer de mama (11,9%) em comparação com indivíduos saudáveis (1,2%)”.
Atualmente, algumas mulheres escolheram usar o método Essure, um anticoncepcional não hormonal que é inserido nas trompas de Falópio a fim de evitar a passagem dos espermatozoides. Entretanto, seu uso pode causar dores crônicas, perfuração dos órgãos, exaustão e envenenamento por níquel.
Igreja sempre assinalou que os métodos contraceptivos são imorais porque impedem a procriação do ato sexual. Em vez disso, aprova os métodos de Planejamento Familiar Natural (PFN) porque permitem que o casal permaneça aberto à vida.
Existe uma grande variedade de métodos naturais que têm uma base científica para avaliar cuidadosamente o corpo e o ciclo menstrual de cada mulher. Além disso, há cada vez mais mulheres no mundo, e não são apenas católicas, que estão começando a usá-los.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08