Com "Clássicos do Cinema", Turma da Mônica homenageia e recria as aventuras de "Guerra nas Estrelas"


monica
Turma da Mônica se mistura ao universo imaginado por George Lucas e os personagens se aventuram em naves velozes
Image-0-Artigo-2351654-1
Em 1997, "Coelhada nas Estrelas" chegava à bancas brasileiras. Nessa HQ, a Turma da Mônica revivia as aventuras baseadas no clássico de George Lucas, "Guerras Nas Estrelas". A publicação, feita pela editora Globo, foi uma homenagem aos 20 anos da franquia e ganhou outra edição em 2007.
A história em quadrinhos é formada por uma trilogia. A primeira, "Coelhada Nas Estrelas" foi originalmente publicada na edição número oito de 97. A segunda, "Coelhada Nas Estrelas: O Feio Contra-Ataca" foi lanada em 2008. Fechando a trilogia, surge a história "Coelhada Nas Estrelas: O Retorno de Jedito", em 2010, na edição 22 da revista.
A editora Panini relançou em 2017 todas as histórias, unindo toda a trilogia em uma única publicação, em uma edição rica, popularmente chamada de "feita para colecionador". Em capa dura, ilustrada por José Aparecido Cavalcante e Tatiana Monteiro, a arte reúne um pouco das cenas das três paródias. Toda a roteirização passou pelo crivo de Maurício de Sousa e Marina Takeda. Os Estúdios Maurício de Sousa também assinam a editoria.
Os desenhos ficam a cargo de Roberto Martins Pereira. O artista consegue em seus traços e cores dividir o tempo e o espaço onde cada história acontece, sem usar recursos de divisão de páginas com marcações para orientar o leitor mudanças de cenário. Em nenhum momento o leitor se perde na cronologia e ordem dos acontecimentos.
História
Dessa vez, a "Turma da Mônica - Clássicos do Cinema", traz a turminha vivendo as aventuras de "Cascão Caiuóqui" (Luke Skywalker). Junto de seu mentor, Franjinha Kenobi (Obi Wan Kenobi), eles encontram ao longo da jornada Cebolinha Solo e Flobaca, vivido por Floquinho. Na companhia de Magali 3PA (interpretando C3-PO) e Nimbus 2D2 (R2-D2), a turma parte para resgatar a Princesa Moniqueia, que está nas garras de Dart Feio, que quer jogar sujeira por toda a galáxia.
Usando de algumas licenças poéticas, as paródias ainda se mantêm fiéis a trilogia original, mas dão uma pitada de Turma da Mônica. Somos apresentados a um Cascão ainda com medo de água, a Mônica que luta para não perder o coelho Sansão e Cebolinha, com seu problema fonético em trocar o R pelo L.
Nas historinhas, os Jeditos são uma ordem de cavaleiros espaciais que entre uma luta e outra, adoram proferir ditados e provérbios. No total, ao longo de toda a trilogia foram ditos 66 ditados. Destes, 17 foram em "Coelhada Nas Estrelas", e 24 em "O Feio Contra-Ataca". Em "O Retorno de Jedito" foram 25 ditados proferidos.
Esses dados são alguns dos extras que a publicação oferece, além de uma galeria de personagens, curiosidades das edições passadas e um pouco de como funciona o processo criativo de uma página de quadrinhos, além de uma lista de easter eggs (referências escondidas) e esboços dos desenhos originais.
arteNostalgia
Além da HQ já ser, por si só, uma grande referência ao clássico cinematográfico, ela vai além e usa do recurso já citado, os easter eggs. Em uma única página, o roteirista Flávio Teixeira de Jesus consegue encontrar tempo e espaço para colocar, em um mesmo local, vários personagens de filmes conhecidos pelo público e até figuras do próprio Star Wars, uma forma de fazer o leitor a interagir com a obra.
Ao longo da publicação, os leitores são agraciados com artes originais das primeiras páginas de 1997, 2008 e 2010. Esse serviço deixa um traço nostálgico para os fãs que cresceram lendo a Turma da Mônica e acompanharam os lançamentos dessas histórias.
A capa da HQ publicada em 2007 também aparece para separar uma história da outra, além de pôsteres, seguindo a estética dos cartazes originais de Star Wars, que servem para separar as seções das três paródias.
Referências
As alusões a Star Wars são certas. A Estrela da Morte, por exemplo, vira o Emporcalhador de Marte e a Carbonita, onde Han Solo fica aprisionado, vira uma "camada de chocolate", um perigo para Cebolinha Solo, se Magali estiver por perto.
Histórias da Turma da Mônica também são trazidas à tona para compor as narrativas imagéticas. Em algumas páginas o leitor se depara com momentos em que se lembra muito a HQ "Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta", já que no filme original, Leia e Solo ficam juntos. Então, fica natural nesta nova história a romantização de Cebolinha e Mônica.
"Batmenino Eternamente" também é um desses exemplos, já que o caráter da publicação traz Cascão e Cebolinha em papéis heroicos. Também não passa batido a história de "A Princesa Desdentada e os Porcos Piratas", em que se pode ver os porcos da tradicional história estampada na figura do Emporcalhador de Marte.

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

O STF é uma vergonha

Dom Aloísio em nossos corações

Além das aparências