O cearense Mauro Lopes é o único nordestino finalista do 2º Prêmio Kindle de Literatura

por Roberta Souza - Repórter
É meia-noite em Nova Jaguaruara, pequena cidade (fictícia) no interior do Ceará. Durante um minuto, as luzes se apagam e os mistérios tomam de conta do local, que esconde uma história relacionada ao desaparecimento de pessoas desde o início do século XX.
Esse não é um romance de horror qualquer. É o primeiro do cearense Mauro Lopes, 30, e também um dos poucos que trabalha com as questões regionais daqui de maneira pouca explorada até então. Tanto que a publicação independente está entre as cinco finalistas do 2º Prêmio Kindle de Literatura, cujo resultado será divulgado nesta quarta, 17, em São Paulo.
Mauro inscreveu-se junto a mais de 1.500 autores, de todos os estados brasileiros, que submeteram mais de 1.700 romances inéditos através do Kindle Direct Publishing (KDP), ferramenta de publicação de e-books de forma gratuita e independente da Amazon. Nessa etapa final, que dirá quem vai ganhar uma publicação impressa pela editora Nova Fronteira e mais R$ 30 mil, o cearense concorre com dois gaúchos, um paulistano e uma carioca - sendo, portanto, o único representante do Nordeste. Natural de Fortaleza, o autor de "Nova Jaguaruara", título escolhido para o livro de estreia, tem a escrita como hobby desde a adolescência, quando, por volta dos 17, 18 anos, já ensaiava algumas histórias que não chegavam a se sustentar.
"Tentei escrever outras coisas, mas nunca consegui finalizar, nunca nem passei no décimo capítulo", conta. "Mas com essa história finalmente tive um trabalho grande, fechei e resolvi publicar pela Amazon como autor independente, sem ligação com editora", explica Mauro, que também é professor.
Foi em 2015 que ele deu início ao livro que figuraria entre os finalistas do Prêmio Kindle de Literatura. De lá para cá, passaram-se dois anos de produção e revisão do texto.
"Terminei em agosto do ano passado. Antes desse livro, escrevia histórias sem pensar no final, não planejava, ia jogando no papel de forma desorganizada. Mas nesse fiz um planejamento com calma, não tive pressa para começar, e quando comecei a escrever já sabia o que ia acontecer no fim", detalha.
O livro
Dividido em 31 capítulos e totalizando cerca de 240 páginas, "Nova Jaguaruara" situa o leitor em acontecimentos do passado e do presente. Na história, Vicente e sua equipe de trabalho chegam à cidade mencionada para estudar as condições para a instalação de torres de energia eólica e, quem sabe, resolver o estranho problema de queda de energia que a acomete à meia-noite.
De início, eles são alertados para o fato de não poderem se aproximar de uma igreja abandonada na beira da estrada. Mas, infelizmente, o aviso não é o suficiente e logo todos encontram-se presos nos mistérios da cidade. "A ideia básica do livro é uma cidade do interior do Ceará - mas não do sertão -, imaginei ela perto do litoral oeste, entre Itarema e Icaraí de Amontada, onde, todo dia à meia-noite, tudo que é luz se apaga. Não importa se é lâmpada, se é vela, fica só a escuridão, e isso acontece há mais de um século", descreve Mauro.
O nome da cidade, segundo ele, foi estratégico. "Pensei num nome que tivesse a cara do Estado. Peguei Jaguaribe, Nova Jaguaribara, Jaguaruana, e criei esse meio parecido com os dos municípios daqui", explica.
A tentativa de aproximar o romance de horror da nossa realidade foi uma das motivações para Mauro escrever o livro, inclusive. "Desde mais novo, adoro histórias de horror, suspense, acho muito criativas. Mas sempre li terror na Europa, nos Estados Unidos, e queria algo que lembrasse o Ceará", conta o autor
"Sentia essa necessidade de algo que tivesse nossa cara, que passasse em lugares que a gente conhece, tanto que, apesar da cidade ser fictícia, cito Fortaleza e outros municípios cearenses. Tentei escrever algo que eu queria ler", justifica Mauro.
Publicação
Durante o processo de escrita, Mauro não vislumbrava uma publicação a curto prazo. No entanto, enquanto realizava a primeira revisão do livro, tomou conhecimento do 1º Prêmio Kindle de Literatura. Até tentou se apressar para participar do concurso, mas acabou não dando tempo.
No ano passado, com a abertura da 2ª edição e com "Nova Jaguaruara" pronto para entrar na "disputa", ele não perdeu tempo. Após a publicação independente do e-book na ferramenta da Amazon, o autor começou a receber os feedbacks tão esperados dos leitores. "Quando terminei o livro, fiquei com medo de não conseguir alguém pra ler. Se você mostra pra alguém que lhe conhece, há uma dificuldade de saber se foi uma opinião sincera, e queria muito que as pessoas que eu não conheço lessem minha história", conta.
O retorno veio por meio de comentários no site da Amazon ou ainda no YouTube. "Chegaram muitos comentários bem positivos e alguns bem enriquecedores para mim como autor iniciante. Alguns não dão avaliação positiva, mas com um embasamento bom, o que torna o processo de aprendizado interessante", reconhece.
Assim, caso seja contemplado na premiação que acontece amanhã (17) em São Paulo, ele pretende fazer uma revisão ainda mais cuidadosa da obra. De toda forma, o livro pode ser encontrado de graça no Kindle Unlimited, ferramenta que dá acesso ilimitado a milhares de e-books pelo preço de R$ 19,90 ao mês. Nesse caso, para saber mais sobre "Nova Jaguaruara", basta assinar. E, claro, torcer para Mauro conquistar a premiação, fazendo circular essa história de horror cearense.
 
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

LAMENTAÇÕES DE UM LÁPIS

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

A Palavra Não